Maracutaia da LFT de filho de Lula pode render processo por plágio

Para justificar o recebimento de R$ 2,5 milhões da Marcondes & Mautoni, empresa de lobby investigada na Operação Zelotes, Luiz Cláudio Lula da Silva apresentou para a Polícia Federal material retirado indevidamente de sites na internet, como se fosse o trabalho efetuado.
Além disso, A LFT, empresa de Luis Cláudio, não deu os créditos devidos para os titulares do material colhido. Ou seja, utilizou um artigo acadêmico, reportagens de jornais e trechos da Wikipedia, como se fossem de sua autoria, o que configura o plágio.
O plagiador, no caso Luis Cláudio, apropriou-se indevidamente da obra intelectual de outra pessoa, assumindo a autoria da mesma.
O plágio é considerado um crime previsto no Códio Penal Brasileiro e na lei 9610 de 1998.
Um dos lesados, o empresário Kadu Dias, dono do 'Mundo da Marcas', já adiantou que está aguardando maiores informações sobre o caso, para tomar as providências jurídicas contra a LFT e Luis Claudio Lula da Silva.
da Redação

                                             https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline
Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça