"Ditadorzinho" do Pará tenta censurar internet, mas recua (veja o vídeo)

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), sancionou uma lei com o intuito de censurar informações envolvendo o seu governo, sobretudo as críticas pelas suspeitas de superfaturamento e problemas na área da Saúde em meio a pandemia de coronavírus.

No mesmo dia, a lei recebeu pesadas críticas nas redes sociais, e como resultado, Barbalho deu uma recuada e vetou a indecência.

Veja um dos destaques do projeto de lei vetado:

“Proibida a criação, a divulgação e o compartilhamento virtual de fotos, vídeos, áudios, informações e opiniões sem a devida comprovação da veracidade do conteúdo e/ou notoriamente falsas, com objetivo de provocar a desinformação, causar constrangimentos a pessoas físicas e jurídicas, e que objetivem manchar a honra pessoal de autoridades constituídas ou expor a intimidade de pessoas e/ou da família”.

Segundo informações não é a primeira vez que o governador tenta ‘calar’ os críticos. Em abril, por exemplo, a Polícia Civil do Pará fez uma busca e apreensão na casa de blogueiros, com o pretexto dos mesmos serem ‘acusados de propagar fake news’ contra o governo.

Os blogueiros negaram a prática, e ainda ressaltaram que estão sofrendo perseguição política do governador por denunciar a situação precária do sistema de saúde do Estado e o atendimento precário aos pacientes infectados pelo coronavírus.

As suspeitas de superfaturamento em contratos emergenciais, surgiram após o governo paraense ‘admitir’ que os 152 respiradores importados da China por R$ 50 milhões estavam com defeito.

Confira a declaração do governador sobre o fato:

A lei que Helder Barbalho tentou pôr em prática proibia a “criação, a divulgação e o compartilhamento de informações e arquivos pela internet ou aplicativos de celular “sem a devida comprovação do conteúdo” e que tivessem como objetivo a "desinformação”, “causar constrangimentos” ou “manchar a honra pessoal de autoridade”.

Fonte: O Antagonista

da Redação

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários