Após depoimento de Valeixo, Janaína se rende: “Precisamos ser justos, não houve crime”

Ler na área do assinante

Nesta terça-feira, 12, a jurista e deputada estadual de SP, Janaína Paschoal, em suas redes sociais, comentou o depoimento do ex-diretor-geral da Polícia Federal, delegado Maurício Valeixo.

Em sua primeira frase redigida na publicação, Janaína, logo mostrou arrependimento por seu posicionamento..

“Bom dia, Amados! Precisamos ser justos”, escreveu a parlamentar.

Janaína afirmou que leu a íntegra do depoimento de Valeixo a Polícia Federal e chegou a conclusão de que Bolsonaro não cometeu crime algum.

“Diferentemente do que vem sendo publicado, o depoimento é completamente favorável ao Presidente da República. Doutor Valeixo já havia pedido para sair e, na véspera da demissão, foi consultado. Aliás, Valeixo foi consultado, à tarde, pelo Ministro (que não mencionou o "a pedido", mas queria indicar o substituto) e foi consultado, à noite, pelo próprio Presidente, o que denota respeito”, salientou.

De fato, o depoimento de Maurício Valeixo afastou a falsidade ideológica, que havia sido ventilada, após a pronunciamento de Sérgio Moro no anúncio de sua demissão.

A jurista reiterou que o depoimento foi além, pois o Delegado foi categórico ao assegurar que jamais houve interferência do presidente em investigações.

Para a parlamentar, qualquer pessoa minimamente conhecedora do Direito Penal dirá que não houve crime, pois, ao que parece, o ex-ministro Moro, demonstrou-se ‘temeroso’ e ‘desautorizado’, e este foi o motivo da sua saída.

Para finalizar, Janaína entende que é ‘injustificável’ manter a instauração do inquérito.

“Ao que tudo indica, não há [crime]. E inquérito serve para apurar crime”, finalizou a parlamentar.

Confira as publicações de Janaína Paschoal:

da Redação
Ler comentários e comentar