A parábola dos cães raivosos retrata como o povo brasileiro está vivendo em meio a pandemia

Épocas como essas, dominadas pela criminalidade esquerdista, exigem o uso de uma linguagem clarificada, porque a clarificação linguística destrói o hipnotismo gerado pela novilíngua progressista.

Vou tentar:

Congressistas, governadores, prefeitos, médicos, jornalistas e isentões que são contra a hidroxicloroquina e a favor da destruição da sociedade e da economia por meio do cárcere privado, são bandidos que os brasileiros honestos deveriam caçar como se caçam os cães contaminados pela raiva.

A criminalidade esquerdista está agindo sob o sol do meio-dia, sem o menor respeito às pessoas e nem ao governo federal.

Ela subestima a inteligência do brasileiro, que tornou-se um mero peão de um imenso tabuleiro político baseado na corrupção e na agenda progressista; e essa agenda é apenas a expressão social e cultural da mesma criminalidade.

O que ocorre sob o sol do meio-dia:

- Redes de TV apoiando abertamente a criminalidade esquerdista. Exemplo: fazendo filmagens externas dos hospitais de campanha por saberem que estão vazios, mas anunciando o caos ao mentirem que estão lotados;
- Juízes apoiando abertamente a criminalidade esquerdista. Exemplo: empoderando governadores e prefeitos em detrimento do governo federal, para que possam superfaturar, quebrar cidades e estados, e fustigar Bolsonaro;
- Médicos apoiando abertamente a criminalidade esquerdista. Exemplo: negando a eficiência da cloroquina; pedindo hospitais de campanha e colaborando para a propagação da histeria;
- Congresso apoiando abertamente a criminalidade esquerdista. Exemplo: dando poder até para síndico interferir na vida privada das pessoas.

Uma imagem alegórica para entender a situação do brasileiro. Imagine uma aldeia deserta. A aldeia está deserta porque as pessoas, acovardadas e em pânico, estão trancafiadas em suas casas.

Mas a aldeia não está tão deserta assim, porque pelas ruas circulam matilhas de cães raivosos, controlando todo o território que antes constituiam os espaços dos habitantes da aldeia.

Os chefes das aldeia não estão do lado dos habitantes. Os chefes defendem os cães. Eles até dizem que se os habitantes não se comportarem, os cães tem até o direito de invadir as casas e atacar seus moradores, por que a aldeia precisa ser protegida a todo custo.

Marco Frenette

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários