A bomba de festim do MBL: o empresário Paulo Marinho

A "bomba" que o MBL tinha, para derrubar o governo, era o suplente do Flávio Bolsonaro (pré candidato do PSDB à prefeitura do Rio) dizendo que ficou sabendo que um delegado, cujo nome não vai revelar, contou para o assessor do Senador (do qual ele é o maior beneficiado com a queda do mesmo) que a Operação "Furna da Onça" (na qual o Queiroz foi preso) iria acontecer antes de acontecer.

Prova? Nenhuma!

Fato? Nenhum!

Só uma fofoca.

Tem que mandar essa turma fazer um curso de delação com o Palocci.

Por enquanto, estão fraquinhos demais...

Felipe Fiamenghi

O Brasil não é para amadores.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários