A funkeira milionária, o deputado e a discussão ao vivo sobre o “peido” da vaca (veja o vídeo)

Uma live entre uma funkeira milionária e um deputado federal se transformou em piada nacional. Nela, a funkeira reclama da poluição dos gases que o gado emite no ar quando solta um PUM.

Sim, problematizaram os peidos das vacas!

A mesma funkeira já demonstrou desejo de entrar na política e tem milhões de jovens seguidores que vêem nela representatividade.

Só para constar: na política REPRESENTATIVIDADE se reverte em VOTOS.

Mas, voltando ao peido da vaca: fica evidente o porquê do agronegócio ser em sua maioria, "de direita", apenas os agricultores e pecuaristas mais ignorantes defendem a esquerda, afinal, esquerda no poder significa o fortalecimento dos movimentos de invasores de terras e a interferência do governo na produção de grãos e da quantidade de cabeças de gado que o pecuarista teria peidando em seu pasto, ops, digo, pastando...

O agro fomenta toneladas de importações, fomenta as pequenas agroindústrias familiares, fomenta cooperativas de produção, cooperativas de crédito, bancos, financeiras, fomenta as transportadoras, os caminhoneiros, os portos, os navios, os cargueiros, os silos, a indústria, gera milhões de empregos e fomenta também, as milionárias festas e exposições rurais que vendem da cerveja até a máquina agrícola mais moderna e lá, na ponta da corda, fomenta a bilionária indústria da música sertaneja. Entendeu?

Do lado direito do octógono temos o brasileiro raiz, bruto, idade variada, trabalhador braçal que consome todas as esferas do agro, do grão à festa de peão; do lado esquerdo do octógono temos a lacrosfera delirante, problematizadora de PUM de bicho, vegana, preocupada com a morte do gado de corte, com o consumo excessivo de carnes e com a camada de ozônio duramente bombardeada por gazes dos orifícios bovinos.

Por essas e por outras que a direita se agigantou no mundo!

A esquerda idiotizou gerações via cultura e educação, quem sobreviveu ao escárnio está tratando de reverter a situação do jeito que dá!

Erra quem acha que arte não tem ideologia.

Erra quem vê na cultura apenas um "gênero musical".

Erra ainda mais quem não entende como o "politicamente correto" e as ações radicais que se escondem atrás da preservação do meio ambiente, podem afetar a produção econômica de um país agroindustrial igual o nosso.

Não é questão de peido, é de pleito!

Veja o vídeo:

Raquel Brugnera

Pós Graduando em Comunicação Eleitoral, Estratégia e Marketing Político - Universidade Estácio de Sá - RJ.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários