assinante_desktop_cabecalho
assinante_desktop_menu_principal

Os desafios do novo ministro: É preciso combater a desinformação sobre a cloroquina para reduzir o pânico (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

O cenário é difícil. Bolsonaro está isolado, não consegue enfrentar os governadores e prefeitos, que contam com suporte do poder legislativo e do judiciário, cada vez mais alinhados com interesses internacionais. Por isso, independentemente de quem seja o novo ministro da saúde, as ações do governo federal não serão suficientes para resolver a crise sanitária que alimenta a crise política.

A solução passa por organizar do poder local para atacar as bases do poder tirânico, que são formadas por prefeitos, vereadores e seus cabos eleitorais que dão apoio aos governadores. Para organizar o poder local, é preciso reduzir o número de pessoas em pânico. Para reduzir o pânico, é preciso combater a desinformação, a começar sobre a cloroquina, que é uma aliada importante no combate à covid-19.

Parte da imprensa tenta convencer o público que cloroquina é apenas loucura de fanáticos, uma questão política, já que "não tem comprovação científica". Nada mais falso e canalha. Não há testes científicos do mais alto nível, por que isso demora, mas há sim testes em vários níveis que confirmam sua utilidade. Ou você acha que médicos renomados, como David Uip, tomaram sem saber o que estavam fazendo?

Neste vídeo, apresento explicações simples, que permitem ao espectador combater a desinformação entre amigos e familiares, abrindo assim espaço para que a sociedade faça a cobrança certa das autoridades locais, que são as que estão com o poder na mão. As eleições estão chegando e os políticos estarão cada vez mais sensíveis aos apelos populares daqui para frente.

Confira:

Herbert Passos Neto

Jornalista. Analista e ativista político.

assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários