Os Grandes Irmãos Tupiniquins

“Há algo no mundo mais insuportável que a servidão? E não digo apenas para um homem honrado, não digo só para um homem bem nascido, mas para qualquer um com bom senso ou, ao menos, com aparência de homem. Que condição é mais miserável do que viver assim, sem ter nada que lhe pertença, recebendo de outrem seu conforto, sua liberdade, seu corpo e sua vida?” (Étienne de La Boétie - Discurso da Servidão Voluntária).

- Dois párias foram presos! Ousaram incomodar o sono de Um Supremo!

Onde estão os defensores da humanidade?

Onde se esconderam os que defendem os direitos humanos?

Onde está a OAB?

Onde estão os coletivos que defendem tão bem a natureza e os despossuídos, mas não aparecem para defender os párias?

Onde está a Igreja e seus ardentes condenadores de injustiças aos direitos?

Ondes estão os defensores da liberdade?

Onde estão os defensores da Constituição que foi rasgada e que diz:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

- Dois párias foram presos! Ousaram incomodar o sono de Um Supremo!

Mas alguém gritou:- Não existem párias no Brasil! Só existem na Índia. Lá eles não desfrutam dos mesmos benefícios ou direitos que outros. São inferiores. Na Índia, um pária não faz parte de nenhuma das castas tradicionais.

- São bolsonaristas! - um outro explicou. Não merecem defesa. Vão às ruas e não quebram nada. Fazem passeatas ordeiras e limpas. Gritam por liberdade e por justiça. Querem um país mais justo. Usam as cores verde e amarelo. Lutam contra os juízes corruptos, deputados corruptos, senadores corruptos...Cadeia neles! O país é nosso! Nosso!

Esses gritos e essas vozes escreveram uma das páginas mais negras da jovem democracia brasileira. O caso tornou-se mais asqueroso com a conivência da imprensa. À noite, o país assistiu pela TV, Bonner e sua assistente Renata, visivelmente satisfeitos, proclamarem a todo país que:

- Foram presos, em Mandado expedidos pela juíza Ana Carolina Netto, neste sábado: Antônio Carlos Bronzeri e Jurandir Pereira Alencar.

Eles foram ENCARCERADOS porque “desrespeitaram o benefício da liberdade provisória concedido, bem como para a garantia da ordem pública, imprescindível neste momento vivido”.

Em todos os grandes jornais do país a mesma notícia da prisão. NENHUMA DEFESA! Nada.

Os manifestantes são acusados de ameaça, injúria e difamação contra o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal. Os dois foram presos em acampamento montado na Praça Abílio Soares, em frente à Assembleia Legislativa de São Paulo, por policiais infiltrados.

O livro “1984”, de George Orwell, mostra o poder controlador que o governo e os meios de comunicação podem exercer sobre as pessoas. Nele aparece a figura do “Grande Irmão”, aquele que cuida de todos, que manda em todos, que vigia a todos e que prende até os que ousarem a pensar. Diz sempre que está cumprindo a lei, que zela pela Constituição que é para o bem de todos.

No Brasil “O Grande Irmão” deixou a ficção e tornou-se realidade.

Multiplicou-se. “O Grande Irmão” não é só um, são 11! São seres Supremos: “Os Grandes Irmãos Tupiniquins”. 4 foram nomeados por FHC. 7 nomeados por Lula/Dilma, donos dos partidos que mandaram no Brasil nos últimos 25 anos.

Associados aos 11 estão todos aqueles que perderam as eleições e a imprensa que vocaliza e exalta suas ações inconstitucionais.

Não foram eleitos pelo povo e não tomaram o poder. Sorveram o poder! Sim, amigos, os onze “chuparam” os outros dois poderes e criaram uma Constituição própria, num processo interessante: são onze Constituições individuais, onde cada um diz e faz o que lhe der na telha. Interpretam as leis. Não seguem o que diz a lei.

“Não obstante, há luz no fim desse filme de terror supremo. Como as instituições tradicionais se mostram inoperantes para dar um basta na suprema ditadura escancarada, que arrasa com a soberania popular, subverte a ordem política e jurídica, além de promover o medo, ameaçar as liberdades individuais e agravar o caos político e social nunca visto na história "republicana" do Brasil, só resta uma única solução, antes de eclodir uma previsível guerra civil, com consequente intervenção militar inevitável e agressiva, para restaurar a ordem supremamente desfeita: invocar as Forças Armadas para, fazendo as vezes de instituições ineficazes no combate da ditadura da toga, prender os agentes causadores do esfarelamento do estado de Direito e do arremedo de democracia, levando-os a julgamento perante a Justiça Militar (art.142, da CF c/c LC 97/99 c/c art.17,18,23,I, 26, 30 e seguintes, da lei 7170/83). Nada de golpe; nada de intervenção militar; nada de ditadura ou de restrições de liberdade: tão somente a imposição do império da lei. A ordem vem a reboque.” (Renato R. Gomes - Mestre em Direito Público - “ O caos terá fim/jornaldacidadeonline”)

- Dois párias foram presos! Ousaram incomodar o sono de Um Supremo!

Carlos Sampaio. Professor. Pós-graduação em “Língua Portuguesa com Ênfase em Produção Textual”. Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Comentários