A pirataria virtual contra o Jornal da Cidade Online patrocinada pela Nova Ordem Mundial e pelo Mecanismo?

A ”Lenda dos Nove Desconhecidos”, desvendada por Talbot Mundy, da Polícia Inglesa, em 1921, se referia a uma sociedade secreta que teria sido criada no ano 244 a.C, nas Antigas Índias, sob a Coroa do “sábio” Imperador Ashoka.

Essa fantástica “lenda” é contada com maestria no livro “O Despertar dos Mágicos”, de Louis Pauwels e Jacques Bergier, numa viagem emocionante ao “realismo fantástico”.

Essa lenda se referia à existência, na época, de 9 (nove) sábios, cada um dos quais com pleno domínio de uma determinada ciência, permanentemente atualizada, tudo resumido no respectivo “livro” de cada sábio. O primeiro desses livros se referia à “propaganda e à guerra psicológica”, e era justamente o “primeiro” porque os sábios tinham plena consciência que aquele que detivesse o controle da “propaganda e da guerra psicológica”, ao mesmo tempo estaria assumindo o controle e o comando do mundo.

A economia do mundo capitalista levou essa “lenda” muito a sério, fazendo da propaganda o principal combustível para movimentar a máquina do modo capitalista de produção. O mesmo se passou na “política”, onde o povo começou a dar preferência e a “consumir” os políticos “eleitos”, da mesma forma que as mercadorias e todas as “perfumarias”.

Nesse sentido, a excessiva “permissibilidade” concedida aos “acessórios” da internet, como o “twitter”, de difícil controle, permitiu uma “contaminação” mundial, inclusive do mal e da mentira. Por isso essa “facilidade” oriunda das novas tecnologias tornou-se uma verdadeira “bomba” a ameaçar o mundo, quando utilizada por “mãos” criminosas ou “sem noção”, que a utilizam como instrumentos do crime e do mal.

O resultado de todo esse descompasso é o de que os dirigentes da “máfia” do mundo acabaram seguindo à risca os ditames do primeiro livro da “Lenda dos Nove Desconhecidos”, dedicado à “propaganda e à guerra psicológica”, fazendo deles uma poderosa arma para manchar reputações, injusta e criminosamente.

O Jornal da Cidade Online acabou se constituindo numa espécie de “contraponto”, portanto um “alvo” de toda essa bandalheira midiática virtual, eventualmente talvez até por atacar os interesses nocivos de dominação do Brasil, seja pela Nova Ordem Mundial, no plano mundial - que inclusive já assumiu o controle da Organização das Nações Unidas - seja pelos interesses mesquinhos internos, ”tupiniquins”, do “establichment/mecanismo”, formado pelo poderoso “consórcio” da ESQUERDA/CONGRESSO NACIONAL/SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL/BANCOS/GRANDE MÍDIA/INSTITUTOS DE PESQUISA.

Nessa linha de comprometimento, um perfil comunista ANÕNIMO, criado nos Estados Unidos, em 2016, através de uma conta no twitter, tem direcionado ataques criminosos contra sites que consideram “conservadores” ou de “extrema direita”, mas que assim os definem simplesmente por não compactuarem dos valores “esquerdistas”. Para esse “gente” não há outro enquadramento, ou compactuam com a “podridão” da esquerda, ou serão taxados de “extrema direita”, inimigos.

Sem dúvida o tal perfil anônimo no Brasil tem “gringos” no seu meio, mas deve receber generosos patrocínios de grupos políticos que dominaram o Brasil de 2003 a 2016, e que “roubaram” nesse período 10 trilhões de reais, com folgas, portanto, para financiar “propaganda e guerra psicológica” e ataques contra os seus “inimigos”, um dos quais o JCO.

Agindo tal qual um “sniper”, um atirador de elite clandestino, que age covardemente no anonimato e à distância, esses criminosos virtuais já conseguiram algum êxito com uns “babacas” que acreditaram nas suas mentiras e cancelaram o patrocínio de publicidade que tinham no Jornal da Cidade Online, sem que se dessem ao trabalho de antes conferirem a veracidade das acusações improcedentes que receberam. É por isso que a “Rede Telecine” e a empresa de computadores Dell já caíram como “patinhos” nas denúncias infundadas do citado perfil comunista.

Esclareço que muito com orgulho integro o rol de colunistas do JCO, como simples colaborador. E nessa condição dou o meu testemunho de que todas essas acusações contra o jornal são falsas. Tenho a liberdade de pensamento e expressão no ápice da minha pirâmide de valores, e jamais me submeteria nos meus escritos às diretrizes ideológicas, quer da esquerda, do “centro”, da direita, ou de quem quer que seja. Tanto quanto o Jornal da Cidade Online, o meu único compromisso é com a justiça e a verdade.

Sérgio Alves de Oliveira

Advogado, sociólogo,  pósgraduado em Sociologia PUC/RS, ex-advogado da antiga CRT, ex-advogado da Auxiliadora Predial S/A ex-Presidente da Fundação CRT e da Associação Gaúcha de Entidades Fechadas de Previdência Privada, Presidente do Partido da República Farroupilha PRF (sem registro).

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários