assinante_desktop_cabecalho

A hora é de botar a camarilha para correr!

Ler na área do assinante

A sociedade brasileira varreu a esquerda da história do Brasil. Mas nas profundezas do Estado brasileiro permaneceu uma minoria que é uma elite oligarca medieval encravada nas estruturas de poder que tentou resistir para não largar as tetas onde mamam há décadas.

Figurativamente são as hienas que não passam de 1 ou 2 mil pessoas. Mas não resistem ao enfrentamento.

Vimos isso nessa semana com o pronunciamento democrático e firme do General Augusto Heleno.

Vimos, também, que eles se protegem uns aos outros.

Com tristeza observo que até aqueles a quem deveríamos devotar infindável admiração, estão contaminados.

Sérgio Moro, o ex-ministro, não se mostrou na linha do tempo, tão correto, recatado, íntegro e digno como ingenuamente imaginávamos.

Ele fez um excelente trabalho. Mas o fez parcial e seletivamente tendo só e somente só o PT escolhido a dedo como alvo.

Podemos observar que ninguém do PSDB dentre os envolvidos até o pescoço com corrupção, foi para a "vara" com o ex-juiz.

Por quê será?

Agora o sabemos.

Essa elite que colocou o PT no poder para ser marionete, perdeu o controle dos cordéis.

Então, agiram para exterminar o PT para seguirem seu rumo. Sempre se protegendo mutuamente. Não contavam com Bolsonaro.

Ameaçados, em desespero, aliaram-se todos os iguais, no Congresso, no STF e na mídia. E Moro se prestou a ser instrumento dessa estrutura.

Reparem que o ex impoluto juiz saiu mais cedo da reunião de Ministros cujo vídeo insistiu em divulgar, na certeza de que - ante sua ausência - seriam cometidas ações não republicanas. Enganou-se. Ficou nu para a história.

Celso de Mello, por sua vez (que precisa escrever 58 laudas para justificar a injustificável publicidade do vídeo ) não tem leitura política.

Soberbo, caduco e elitista, o ministro que Saulo Ramos chamou de "merda", quis se passar por um paladino no apagar da sua carreira medíocre. Mas o que fez foi revelar o Bolsonaro que todos queremos ter e ver! O ministro não é só um juiz de "merda". Também é um ministro cagão que integra uma Corte de "cagões" (no que Lula tinha razão).

O ministro valente e boquirroto, quando lhe bateram o pé, recuou.

Assim como todos vão recuar diante do ronco das ruas e dos leões da liberdade! Mais quem está pelado de mão no bolso(naro) batendo o queixo de frio nesta história toda, é a mídia.

O Presidente está transparente. É quem é! Eu, você, a Nação vimos o vídeo.

E não há comentarista que me faça mudar de ideia.

Ao invés de me reportarem os fatos para que eu mesmo possa tirar deles as minhas conclusões, quiseram a todo o tempo me induzir que não estava vendo o que via.

Então, o crédito ficou com quem tem crédito. E o descrédito com quem quis me induzir a pensar que não vi o que vi! As coisas ficam cada dia mais nítidas.

E nós, os eleitores de Bolsonaro, temos que parar de duvidar da nossa escolha e da nossa força!

Disso tudo sobra uma verdade libertadora: batamos o pé, firmes e fortes, que correm todos: Celso Mello, Moro, Globo, CNN, Alcolumbre, Rodrigo Maia, FHC, Dória, Witzel e todos os outros.

Como o uso de palavrões está meio que voltando a ser comum, peço perdão para usá-lo e dizer: são todos uns cagalhões!

Com todo o respeito, é claro!

Foto de Luiz Carlos Nemetz

Luiz Carlos Nemetz

Advogado membro do Conselho Gestor da Nemetz, Kuhnen, Dalmarco & Pamplona Novaes, professor, autor de obras na área do direito e literárias e conferencista.
@LCNemetz

assinante_desktop_conteudo_rodape
Ler comentários e comentar