‘O que esses governadores roubaram foi sua dignidade’, dispara Magno Malta (Veja o vídeo)

Em entrevista exclusiva à TV Jornal da Cidade Online, o ex-senador pelo estado do Espírito Santo abordou diversos temas, como o uso do vírus chinês para quebrar o país; as fraudes com dinheiro público durante a pandemia; as atitudes do STF, entre outros assuntos.

Após ser citado pelo presidente Bolsonaro como exemplo aos ministros em exercício, durante a reunião secreta que acabou sendo divulgada, Magno Malta falou sobre o "império do medo" que vem se instalando nas maiores capitais do Brasil.

“Vou repetir o que falei para Bolsonaro: ‘Presidente, nós sabemos o que fazem esses governadores do Nordeste, aliás, todos esses governadores de esquerda, o que faz eles serem petulantes, essa petulância deles foi por causa do Bolsa Família e do império do medo que eles botaram na cabeça das pessoas. Elas são ameaçadas por vereadores, por prefeitos, por assessor de vereador... se não votar em fulano, nós tiramos o Bolsa Família. Lembrando que Bolsonaro deu o décimo terceiro do Bolsa Família, e o Sr. Rodrigo Maia deixou caducar a Medida Provisória do décimo terceiro dos pobres”, ressaltou o ex-senador.

Ele comentou sobre o lockdown, e acredita que o maior objetivo não é salvar vidas, mas sim espalhar o pânico e quebrar o país, e que tudo não passa de um esquema armado pela China que quer comprar o Brasil depois de arruinado economicamente.

Malta alertou ainda sobre possíveis fraudes com dinheiro público e acredita que alguns governadores estejam aproveitando a liberação de recursos do governo federal durante a pandemia para superfaturar compras de equipamentos para a saúde.

“Se você entrar no YouTube e pegar meu discurso de três dias atrás, estou dizendo: ‘Vai ter muito secretário preso, muito governador preso, prefeito preso, porque o Ministério Público está vendo, a Polícia Federal está vendo... não é todo mundo que está na vala comum”, ressaltou o ex-senador.

Ele ainda comentou sobre a eficácia da hidroxicloroquina usada no tratamento da Covid-19, mas que vem sendo politizada a fim de manter a crise sanitária.

Assista a entrevista:

da Redação

Comentários