Bolsonaro: Este é meu último aviso (veja o vídeo)

Clint Eastwood, logo na cena inicial de um dos filmes da inesquecível série Dirty Harry, responde a um político corrupto que o ameaça:

-Vou te dar um conselho. Todo homem tem que conhecer os próprios limites. Para não ultrapassá-los nunca.

O conselho pode valer para muita gente hoje nessas terras tupiniquins.

O problema é que muito bandido junto acaba dando uma valentia inexistente a alguns mais afoitos.

E, valentes, disparam pra todo lado, sem medir as consequências e o alcance de suas balas.

Na quarta feira, numa operação que atropelou a Constituição do Brasil, o poder executivo e a pouca liberdade dos cidadãos de saco cheio, a Polícia Federal obedeceu à uma ordem emitida por Alexandre de Moraes, que, em parceria com Toffoli, resolveu atacar mais uma vez Jair Bolsonaro.

Ou melhor, seus apoiadores nas redes sociais.

Casas de jornalistas, empresários e até de humorista foram invadidas, computadores apreendidos e cidadãos brasileiros honestos mais uma vez humilhados.

Tudo por cometerem um único crime:

Estarem apoiando Jair Bolsonaro, por acaso o presidente eleito do Brasil.

Delirantes em sua alienação e em sua pequena ilha da fantasia, Toffoli e Moraes já não percebem mais o limite entre a legalidade e o autoritarismo burro.

Sofreram, na sequência, o repúdio de toda a sociedade consciente.

E tiveram, como não poderia deixar de ser, os aplausos dos asnos da esquerda, sempre dispostos a apoiar qualquer demência contra o presidente.

Há portanto um golpe em andamento, agora barulhento e não silencioso como gostariam os isentões.

A barulheira tem lá sua razão: a pandemia vai passando, os gajos já não conseguem conter os brasileiros trancados e desarmados, e a água vai chegando no pescoço dos que aproveitavam a crise para tentar derrubar Bolsonaro.

O homem continua de pé.

E mais irritado do que nunca.

Bolsonaro sairá dessa crise mais forte do que entrou nela, para desespero da esquerdalha et caterva.

Naturalmente, alguns braços, cabeças ou pernas foram e serão quebrados nessa luta.

Vide Moro.

Ou Regina.

Com a reação firme da sociedade, de ministros e generais, os que queriam a censura irão recuar.

Como sempre.

E tentarão de novo e de novo.

Mas a liberdade não morrerá

Nenhum dos humilhados e intimados desistirá.

Pelo contrário.

Porque essa é a marca registrada desse governo que tirou o país das mãos do comunismo:

Ir em frente sempre.

Corta.

Cena final do filme, antes da legenda ‘The End’:

Dirty Harry olha pensativo para o político bandidão esticado no chão poeirento, vítima de seu infalível 45, e diz baixinho:

‘-Eu te disse pra não passar do teu limite.’

Confira:

Marco Angeli Full

https://www.marcoangeli.com.br

Artista plástico, publicitário e diretor de criação.

Comentários