Cultura: sem apoio voltaremos à escuridão comunista, corruptos e corruptores exacerbam seus ataques à liberdade

A partir de 2002, quando o sindicalista Lula da Silva finalmente tomou o poder, ajudado pelo colega socialista Fernando Henrique Cardoso, a cultura nestas terras tupiniquins foi derretendo, se transformando numa massa amorfa e indefinida, cujo único propósito ou objetivo era servir como ferramenta política.

A destruição de valores fundamentais dos brasileiros, muito além da cultura e educação, já havia sido iniciada por Fernando Henrique, com seu Diálogo Interamericano e Pacto de Princeton, cuja cartilha rezava a destruição da família, aborto, união entre homossexuais e outras coisitas.

Mas foi com a esquerda rolex do vigarista Lula que essa destruição assumiu ares da calamidade que durou quase duas décadas, até o final do governo Temer, em 2018.

Foi nesse período que floresceram, dentro da arte brasileira, os romerobritos e paulocoelhos, espécie de subproduto decorativo da cultura tupiniquim.

Floresceram também, nesse cenário de desolação, as ervas daninhas da doutrinação comunista nas escolas e faculdades, agora aparelhadas pelos governos de esquerda.

E s blogs e veículos de apoio à esquerda, que infestaram as redes sociais nos anos seguintes, pagos descaradamente pelos comunistas no poder com dinheiro público.

Desviado ou roubado.

Em 2018, a esquerda apodrecida por sua própria incapacidade, ganância e arrogância finalmente caiu, num tombo que surpreendeu o Brasil e o mundo.

De repente, eleito pela maioria do povo brasileiro, um presidente conservador e de direita assumiu o poder, apoiado unicamente nas redes sociais.

E sem pagar nada por esse apoio espontâneo, contrariando toda a lógica dos asnos comunistas que zurraram e zurram inconformados até hoje.

Artistas notadamente de direita - raros - como eu e Yara Katagiri, sofreram a pressão ideológica da esquerda nas últimas duas décadas.

E a pressão financeira, evidentemente.

Sobrevivemos.

Entraves a parte, hoje finalmente vislumbramos uma perspectiva para os próximos anos outrora perdida na névoa cultural comunista.

Diferente dos governantes anteriores, Jair Bolsonaro não paga um centavo a seus apoiadores.

E nunca pagou, eu mesmo que participei de sua campanha sou testemunha disso.

Quem o apoiou e o apoia até hoje faz isso não por um homem, mas pelo país.

Entretanto, a esquerda está longe, muito longe da inatividade.

Continuam vivos e operantes, aliados agora ao que existe de sujo e corrupto no país, velhos dinossauros que se recusam a perder os privilégios.

Sua recente investida contra a liberdade, intimando e invadindo casas de jornalistas, influenciadores e empresários conservadores é uma evidência clara disso.

Nós mesmos, eu e Yara, intimados e respondendo a processo de Doria, sofrendo pressão econômica que tenta derrubar anunciantes e invasão maciça de hackers em nosso site, como ocorreu recentemente no Jornal da Cidade Online, constatamos isso todo santo dia.

Exatamente por isso resolvemos finalmente pedir apoio para nosso canal e nosso trabalho.

Não podemos – certamente - esperar apoio de Jair Bolsonaro, ou estaríamos nos colocando nas mesmas condições dos sites sujos financiados por Lula ou Dilma.

Seria um paradoxo.

Porque, como Bolsonaro, queremos um país diferente, limpo e livre.

Acreditamos que, dentro de todo esse cenário desolado da cultura - inclusive da grande mídia - nosso dever é ainda lutar pela verdade - e pela liberdade.

A opção é a volta da escuridão nos próximos anos.

Que assombrará não nossas vidas, mas a de nossos filhos.

Veja o vídeo:

Marco Angeli Full

https://www.marcoangeli.com.br

Artista plástico, publicitário e diretor de criação.

Comentários