Vidas negras importam? Então por que a vida de David Dorn não importou? (veja o vídeo)

Policial aposentado, pai e avô, aos 77 anos ainda trabalhava na loja de um amigo, a "Lee´s Pawn & Jewelry". As 2:30 da manhã, ao verificar o que disparou o alarme do seu trabalho, foi baleado e morto pelos TERRORISTAS "Antifas" da "BLM", que estavam saqueando o local.

Por motivos óbvios, não vou postar o vídeo do crime. É chocante, é repugnante, ninguém deveria ter que ver uma cena dessas. Dorn foi abandonado na sarjeta, morrendo, ferido por aqueles que juram defender os negros, como ele; que usam a cor da sua pele para justificar seus atos hediondos.

É ridículo ver que, mesmo assim, criminosos como os seus assassinos ainda encontram apoio entre alguns grupos da sociedade. Ontem, ao criticar o movimento, cheguei a ouvir que eu não estava no meu "lugar de fala", portanto, deveria me calar. David Dorn estava? Sua família está?

Um outro vídeo, que também viralizou nestes dias, mostra uma negra se posicionando contra o movimento, sendo refutada por uma branca, apoiadora da causa.

Neste caso, então, as "autoridades" se invertem? Quando o branco defende o fascismo dos antifascistas, quando a narrativa agrada o "sistema", o seu lugar de fala é garantido?

Não é a cor da minha pele que invalida os meus argumentos, bem como a cor da pele de David Dorn não salvou sua vida. A questão não tem nada a ver com a quantidade de melanina que cada um carrega no corpo, mas em qual trincheira cada um está combatendo.

A vida de Floyd importava, igualmente à vida das crianças de Minneapolis, das vítimas do atirador de Omaha, do pai e avô Dorn, de St. Louis. TODAS AS VIDAS IMPORTAM!

É inegável que, infelizmente, ainda existe racismo. Provavelmente um dos sentimentos mais imbecis da humanidade. Mas qual o sentido de protestar com ódio contra o ódio? Qual o sentido de tirar vidas para defendê-las?

O movimento que está nas ruas, hoje, é uma farsa. Fascistas anti-fascistas que nem sabem o que fascismo significa. Baderneiros, terroristas, criminosos, que encontram eco para suas ações em uma imprensa vil e abjeta.

Os que realmente se importam com a vida, seja ela de qualquer cor, são os que, neste momento, estão CONDENANDO os atos destas facções criminosas e exigindo-lhes punição severa. Quem apoia é cúmplice e tem sangue nas mãos. Sangue vermelho, como o de todos nós.

"Quem poupa o lobo sacrifica as ovelhas." (HUGO, Victor)

Felipe Fiamenghi

O Brasil não é para amadores.

Comentários