FHC, traído duas vezes pela ‘ex-namorada’, terá que se explicar sobre origem de pensão

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, como já é de conhecimento público, teve uma relação extraconjugal com a jornalista Miriam Dutra.


Míriam e FHC se conheceram em 1985, em Brasília, onde ela trabalhava como jornalista na TV Globo e FHC exercia o mandato de senador.

A relação entre FHC e Miriam Dutra perdurou por dez anos. Durante esse período a jornalista engravidou. Nasceu Tomás Dutra, que FHC não registrou.

Mesmo não assumindo a paternidade, o ex-presidente arrumou uma maneira de sustentar o filho.

Após o nascimento de Tomás, Miriam se mudou para Portugal. Morou também na Inglaterra e na Espanha.

Miriam, por intervenção de FHC, teria mantido um contrato fictício com a empresa Brasif Exportação e Importação, entre 2002 e 2006, para receber dinheiro em contas bancárias no exterior.

Míriam afirma que, apesar de nunca ter feito trabalho algum para a Brasif, aceitou a proposta porque passava por dificuldades financeiras para sustentar Tomás e seus dois irmãos na Espanha, onde vivia na ocasião. Segundo ela, FHC disse ter depositado US$ 100 mil em uma conta da Brasif, que sacava parte do valor todos os meses e fazia o pagamento.

Por meio de nota enviada pelo Instituto Fernando Henrique Cardoso, o ex-presidente afirma que os recursos usados para sustentar Tomás provieram de rendas legítimas de seu trabalho.

A versão de Miriam para o pagamento dessa espécie de pensão contradiz a de FHC.

Miriam apresentou um contrato de trabalho com a Brasif para comprovar a fonte de sua renda. A Brasif era detentora do monopólio da venda de produtos importados, sem imposto, nos free shops dos aeroportos brasileiros.

Em 2009, um ano após a morte da ex-primeira dama Ruth Cardoso, FHC reconheceu formalmente Tomás como filho. Em 2011, ele e Tomás fizeram dois exames de DNA. Os dois exames deram negativo. FHC não é o pai biológico de Tomás.

Apesar dos resultados, o ex-presidente disse que nada mudou no relacionamento entre eles. Recentemente, FHC doou a Tomás um apartamento de 200 mil euros em Barcelona e “alguns recursos” para bancar seu curso de mestrado.

da Redação

                                                https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline
Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política