ANTIFA que agrediu cidadão, matou e esquartejou a própria mãe, e pode ter envolvimento com satanismo

V.H.S possui ficha criminal desde 16 de maio de 2013, quando foi preso por assalto a mão armada em Contagem, no Estado de Minas Gerais (processo 1.0079.13.037108-5/001). Ele e seus comparsas roubaram R$ 309,50, quatro caixas de bombons e um celular da marca LG, dentro do supermercado Vale Verde.

Porém, em nada esse assalto pode ser comparado com seu crime seguinte, em São Paulo, no ano de 2014, aos 17 (dezessete) anos de idade, quando assassinou, esquartejou e tentou ocultar o cadáver da própria mãe, a Sra. Marleide Barbosa de Souza (processo 0006210-23.2014.8.26.0052 e Inquérito 1288/2014 do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) de São Paulo-SP). Segundo jornal Correio do Estado, o motivo desse crime hediondo seria a exigência da mãe de que V.H.S. ajudasse nas tarefas domésticas, pois este não estudava, nem trabalhava. Por ser menor de idade, ficou apenas três anos no sistema penal, sendo solto em 2017, após despacho de 14 de fevereiro deste ano.

Ainda segundo o Correio do Estado, à época do assassinato e esquartejamento da mãe, o rapaz e sua namorada tinham a "mania" de dormir em cemitérios, dado que levou a polícia a investigar se eles teriam ligações com algum grupo satanista.

No último domingo, 31 de maio de 2020, V.H.S foi detido pela Polícia Militar do 13⁰ Batalhão da 3ª Companhia e indiciado junto com outras cinco pessoas por agressão a um cidadão, na Avenida Paulista, 1578. V.H.S. e os demais agressores são membros do grupo ANTIFAS e agrediram fisicamente um rapaz que fotografava uma manifestação no vão do Museu de Arte de São Paulo (MASP).

A imagem do crime ganhou as redes sociais e circulou por todo o país e o Boletim de Ocorrência foi realizado, recebendo a numeração 12868. O Deputado Estadual Gil Diniz também consta como vítima, mas de agressões verbais, enquanto outro cidadão acabou ferido.

Alguns veículos de imprensa noticiaram o ocorrido, porém, sem citar os autores, nem citar o grupo ao qual pertenciam, nem informar sobre a ficha criminal de V.H.S.

Roberto Lacerda Barricelli

Jornalista e Historiador. Autor do livro "Em Defesa da Vida".

Comentários