Ziriguidum do coronavírus na GloboNews

“É um festival democrático, Heraldo! Olha que maravilhoso que é o clima do evento!”, diz a repórter em Washington, na mesma linha da colega de Nova York.

“Os mais jovens estão dando uma lição aos mais velhos!”, diz, exultante, a militante Flávia Oliveira.

“Sim!”, concorda o comentarista Guga Chacra. “Foram os jovens também que lideraram a legalização da maconha aqui”, acrescenta, mal contendo o entusiasmo.

“E aqui no Rio vocês devem lembrar que foram os jovens que fizeram manifestação na Cinelândia contra o governo Bolsonaro por causa das queimadas na Amazônia. Eles inclusive pediram para a população parar de comer carne, por causa do aquecimento global”, completa a tal Flávia, mostrando que é especialista em “lacração”.

Volta a correspondente na capital americana, agora quase dançando: “Aqui em Washington está um verdadeiro festival de cultura. Tem até uma batucada, olha só!”

Aparentemente, só não tem aquele vírus tão temido. Ouvi dizer que ele só aparece em determinadas manifestações.

Ou melhor: em determinadas “aglomerações inconstitucionais que contrariam as regras sanitárias”.

Felizmente para a emissora, a OMS não proíbe aglomeração de clichês politicamente corretos repetidos por jornalistas-papagaios-militantes em suas análises barulhentas como uma batucada, mas com a profundidade de um dedal.

Ziriguidum!

Marcelo Rocha Monteiro. Procurador de Justiça.

da Redação

Comentários