A revolução 3.0 e seus 11 imperadores

A história das revolucões da criminalidade esquerdista está em seu terceiro estágio.

O primeiro estágio foi o da revolução armada, a qual ganhou mais vigor com a Revolução Francesa e depois com a Revolução Russa, até chegar ao domínio de Cuba por Fidel Castro e da China por Mao.

O segundo estágio foi o do marxismo cultural, que trocou o uso das armas pelo aparelhamento da imprensa, das intituições governamentais, culturais e de ensino. Exemplos clássicos desse aparelhamento são as universidades e a imprensa, onde é preciso procurar com uma lupa alguém que não seja defensor da criminalidade esquerdista.

O terceiro estágio é o que vivemos: o da revolução por meio do total aparelhamento do sistema judiciário, quebrando a estrutura democrática da nação ao transformar os poderes Executivo e Legislativo em meros servos do poder Judiciário.

De modo que agora temos 11 juízes do STF transformados em 11 imperadores que ninguém, nem mesmo o presidente da República, pode contestar.

Marco Frenette

Comentários