Advogado membro de coletivo "Advogados Pela Democracia" é assassinado em Curitiba

O advogado Igor Martinho Kalluf, 40 anos, foi executado nesta quinta-feira (11), dentro da loja de conveniência de um posto próximo ao restaurante de comida árabe do qual era dono, em Curitiba, Paraná.

A outra vítima foi Henrique Mendes Neto, de 38 anos.

Ao menos três homens participaram da ação, revelada pelos circuitos de segurança da loja e do posto, segundo o delegado da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Thiago Nóbrega, que esteve no local e verificou as imagens.

Kalluf foi um dos doze advogados do coletivo Advogados Pela Democracia a assinar um pedido de investigação do então ministro e ex-juiz Sérgio Moro, à então Procuradora Geral da República, Raquel Dodge.

O pedido recebeu fundamentação através do texto do portal The Intercept, que foram publicados supostos diálogos entre Moro e outros membros da força tarefa da Operação Lava Jato.

Uma testemunha revelou que a execução ocorreu durante a passagem de uma procissão em comemoração ao feriado de Corpus Christi.

Num primeiro momento, a testemunha pensou que o barulho dos tiros fossem fogos de artifício, porém, percebeu que eram tiros ao ver dois carros saírem do local em alta velocidade.

O advogado havia marcado para hoje, sexta-feira (12) um jantar especial para os clientes de seu restaurante, em homenagem ao Dia dos Namorados.

Advogados Pela Democracia

Esse nome aparece pela primeira vez nos anos 50, após a ascensão de Nikita Kruschov ao cargo de Primeiro Secretário do Partido Comunista, na União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

Se tratava de uma associação ligada ao Kremlin e que atuou na defesa dos interesses comunistas da URSS pelo mundo, principalmente no Ocidente, em especial nos Estados Unidos da América (EUA).

A associação financiou vários movimentos de insurgência civil, sempre proporcionando defesa jurídica aos membros mais radicais.

Grupos como os Black Panthers e principalmente ligados a políticos do Partido Democrata receberam total apoio e retaguarda jurídica, como revelado pelo livro 'Técnicas da Propaganda Comunista', de John C. Clews, publicado em português pela Editora e Gráfica O Cruzeiro, em 1966, sendo o Volume I de sua 'Coleção Problemas Políticos da Atualidade' - originalmente publicado em inglês, com o título 'Communist Propaganda Techniques', pela Methuen & Co. Ltd., de Londres (Inglaterra), em 1964. Clews dedica o livro à memória do ex-presidente democrata dos EUA, John Fitzgerald Kennedy (JFK).

Com informações do portal RIC Mais Paraná.

Roberto Lacerda Barricelli

Jornalista e Historiador. Autor do livro "Em Defesa da Vida".

Comentários