A velha política e o desespero ante a aproximação do momento de desaparelhamento do STF (veja o vídeo)

Já falei mais de umas 10 vezes aqui que tudo na política brasileira, hoje, passa pelo STF. O país está nas mãos dele. O STF transformou-se em um órgão de oposição ao Governo Bolsonaro, e muito mais eficiente do que o Parlamento, considerando a facilidade de a Esquerda judicializar toda e qualquer matéria na Corte.

Uma vaga de juiz lá no STF não tem preço. É para a vida inteira. Se o nomeado tiver, por exemplo, 50 anos, serão 25 anos atuando na Corte.

Portanto, imaginem o desespero do sistema da velha política ao perceber que está chegando a data de o Presidente da República nomear o 1º ministro na Corte, em 1/11, quando Celso de Mello colocará o pijama (lembro, para quem não sabe, que a 2ª vaga será aberta em julho do ano que vem, com a aposentadoria de Marco Aurélio de Mello).

A intenção é fazê-lo errar feio, cometendo algum deslize para conseguirem derrubá-lo do cargo.

Mantenham a calma. Mantenham a fé. Jair Bolsonaro cumprirá todo o mandato; mesmo que ele fique de fato “manietado”, como está, só isso já vale a pena para a sociedade de bem, pelo direito de preencher 2 vagas do STF.

Só desaparelhando a Suprema Corte o país mudará!

Não existe outra maneira.

Já falei sobre esse assunto várias vezes. Aqui nessa live recente com o Conservadorismo Floripa o assunto foi praticamente esgotado.

Se alguém ainda não assistiu, peço que dedique um tempinho para assistir.

Veja o vídeo:

Comentários