Alcolumbre e o STF: às favas o Estado Democrático de Direito

Na primeira noite eles, STF, se aproximam

e roubam uma flor

do nosso jardim.

E o senador Alcolumbre não diz nada (art. 52, II, CF/88),

Na segunda noite, já não se escondem;

pisam as flores,

matam nosso cão,

e o senador Alcolumbre, omisso, conivente e prevaricador, não diz nada.

Até que um dia,

o mais frágil deles instaura o inconstitucional e imoral Inquérito 4781,

entra sozinho em nossa casa,

rouba-nos a luz, e,

conhecendo nosso medo,

arranca-nos a voz da garganta.

E o Estado Democrático de Direito já não pode dizer nada.

Comentários