assinante_desktop_cabecalho
assinante_desktop_menu_principal

A perseguição política e a guerra de narrativas (veja o vídeo)

Quando as armas são as palavras

Ler na área do assinante

A perseguição política a apoiadores de Bolsonaro é um fato. Se na última segunda-feira (15/06) a ativista Sara Winter foi presa, na última terça (16/06) a Polícia Federal fez novas buscas em residências de blogueiros e jornalistas que apoiam o Governo Federal.

Apoiar Bolsonaro está se tornando crime, mas é preciso entender uma verdade dura: numa guerra de narrativas, a verdade nem sempre vence. O que vence é a narrativa mais bem montada. Quem não entende isso, não está preparado para lidar com a realidade do jogo político, que raramente é limpo.

Para piorar tudo, a postura de certos ativistas - os que pedem fechamento do STF ou intervenção militar - não ajuda em nada. Pelo contrário: reforça a falsa narrativa de que Bolsonaro "é antidemocrático". Isso tem ajudado o STF a criminalizar e perseguir quem apoia o presidente democraticamente eleito.

Alguns forçam tanto a barra que não dá nem para saber se realmente apoiam Bolsonaro ou se apenas se promovem em cima dele. Afinal, com eleições se aproximando, gente querendo palco não falta.

Seja como for, numa guerra de narrativas, como falei, mas não custa repetir: a narrativa que vence é a mais bem montada, não necessariamente a mais verdadeira ou que grite mais alto.

Confira:

Herbert Passos Neto

Jornalista. Analista e ativista político.

assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários