Sara Winter é transferida para presídio feminino e sofre ameaças de facções criminosas

A ativista Sara Winter foi transferida, pela Polícia Federal, para a penitenciária feminina em Brasília, nesta quarta-feira, 17.

Segundo a defesa de Sara, ela vem sofrendo ameaças de morte de integrantes de facções criminosas, dentro do presídio.

Os advogados informaram o caso ao delegado responsável pelo presídio e à ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, relatora de um habeas corpus impetrado e que aguarda decisão.

Em nota, a defesa de Winter classifica a prisão dela como “ilegal, arbitrária e política”:

“Sara deixou claro que vem sofrendo ameaças de morte oriundas de dentro da penitenciária, sendo, inclusive, informando ao delegado responsável e através de petição à Ministra Relatora do HC impetrado, Carmem Lúcia, requerendo a análise urgente da medida liminar para sua imediata soltura, pois entendem que sua prisão é ILEGAL, ARBITRÁRIA e POLÍTICA”, diz a nota.

Confira abaixo a íntegra da nota divulgada:

NOTA À IMPRENSA
Lamentavelmente Sara Winter foi transferida hoje da sede da Polícia Federal para o presídio feminino do Gama, conhecido como “Colmeia”, sem que seu HABEAS CORPUS fosse sequer apreciado.
Em seu depoimento (15/06), Sara deixou claro que vem sofrendo ameaças de morte oriundas de dentro da penitenciária, sendo, inclusive, informado ao delegado responsável e através de petição à Ministra Relatora do HC impetrado, Carmem Lúcia, requerendo a análise urgente da medida liminar para sua imediata soltura, pois entendem que sua prisão é ILEGAL, ARBITRÁRIA e POLÍTICA.
A DEFESA informa que até o presente momento, 19h30m, 17/06/2020, quarta-feira, não teve acesso sequer à decisão que motivou a prisão temporária, o que entendemos uma grave ofensa ao exercício da ampla defesa, previsto na Constituição Federal, e prerrogativas dos advogados constituídos.
O HC foi impetrado no mesmo dia de sua prisão (15/06), mas, até o presente momento não houve qualquer decisão, o que causa absoluta estranheza pela demora.
A DEFESA está tomando todas as medidas cabíveis e necessárias para que o direito de Sara Winter seja respeitado, bem como às prerrogativas de seus defensores.
Por fim, é relevante informar que apenas os advogados abaixo descritos estão habilitados na defesa de Sara Winter, e aduz-se alerta para pessoas que estão utilizando o nome de Sara Winter para realização de “vakinhas” virtuais, com viés arrecadatório, o que não possui qualquer ligação com mesma, e sequer por ela foi autorizado ou requerido.
Brasília/DF, 17 de junho de 2020.
RENATA CRISTINA FELIX TAVARES – OAB/DF 50.848
BERTONI OLIVEIRA BARBOSA – OAB/DF 45.319
PAULO CÉSAR RODRIGUES DE FARIA – OAB/GO 57.637 e OAB/DF 64.817
LAYANE ALVES DA SILVA – OAB/GO 54.906 e OAB/DF 65.676”

Fonte: O Globo

da Redação

Comentários