assinante_desktop_cabecalho

Felipe Neto é condenado a indenizar presidente da Funai por ataques na web

Ler na área do assinante

O Youtuber esquerdista, Felipe Neto, foi condenado pela Justiça do Distrito Federal a indenizar o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Marcelo Augusto Xavier Silva, por o atacar de forma covarde em publicações nas suas redes sociais.

Felipe Neto, fez falsas acusações assim que Xavier Silva foi nomeado para a presidência da Funai.

“Bolsonaro anunciou o novo presidente da FUNAI (Fundação Nacional do Índio) O sujeito já ajudou invasores de terras indígenas, foi reprovado em prova da PF por problemas psicológicos e AGREDIU O PAI IDOSO COM UM MURRO NA CARA”, escreveu o Youtuber.

E prosseguiu:

“Jair Bolsonaro odeia os indígenas e nunca escondeu isso, mas colocar um sujeito com problemas mentais e que JÁ AJUDOU INVASORES DE TERRAS INDÍGENAS pra ser presidente da FUNAI vai além de todos os limites da perversidade humana. O cara é podre por dentro.”

Para a magistrada Giselle Rocha Raposo, que julgou o caso, o militante esquerdista “ultrapassou o amplo direito de expressão”.

Xavier Silva classificou a postagem como absurda e leviana. Segundo alega, o réu lhe atribuiu condutas falaciosas e até criminosas, o que afronta sua dignidade, honra subjetiva, imagem e reputação.

“[O réu ultrapassou] os limites do exercício da liberdade de expressão” [ao lançar ponderações desnecessárias e descontextualizadas] ao tecer seus comentários sobre o autor, não trouxe qualquer ressalva ou menção que os fatos ali citados estavam sob investigação, expondo partes de reportagens avulsas e descontextualizadas acerca das investigações dos supostos ilícitos cometidos pelo autor”, considerou a Juíza.

Giselle Rocha Raposo ainda ressaltou que “é certo que, a despeito da vida pública, os comentários do réu (Felipe Neto), que possui alcance e efeitos muitas vezes maiores que os veículos de comunicação tradicionais, com intuito de denegrir a imagem do autor (Xavier Silva) foram capazes de gerar ofensa moral e o consequente dever de indenizar”.

Além da quantia em dinheiro, que a magistrada atribuiu o valor de R$ 8 mil reais, o Youtuber tem o prazo de 10 dias para retirar as publicações de suas redes sociais, sob pena de multa diária.

da Redação
assinante_desktop_conteudo_rodape
Ler comentários e comentar