Fux não decide e enrola a questão da perícia no telefone do advogado de Adélio

Sorteado relator no Mandado de Segurança que pede autorização para que a Polícia Federal realize perícia no aparelho celular e outros materiais apreendidos no escritório do advogado Zanone Manuel de Oliveira, o ministro Luiz Fux não decidiu a questão.

O caso pendente há muito tempo, que pode ser fundamental para se chegar a eventuais mandantes do crime contra o presidente da República, não foi enfrentado pelo magistrado.

Fux preferiu mandar o processo para o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), que deverá realizar todo o trâmite processual e o julgamento da questão.

É estranho que o mesmo STF, que se arvora no malfadado inquérito das fakes news - investigando, determinando busca e apreensão, prendendo e decidindo sobre questões das mais diversas e intrigantes – se furta de decidir numa questão de um crime praticado contra a autoridade máxima do país.

Inaceitável.

da Redação

Comentários