Se o MEDO venceu, o seu DEUS morreu

Por MEDO de amar, afastou.

Por MEDO de se envolver, esfriou.

Por MEDO de conhecer, ignorou.

Por MEDO do outro, ficou só.

Por MEDO de ousar, paralisou.

Por MEDO de sonhar, a realidade endureceu.

Por MEDO do novo, ficou com o velho conhecido.

Por MEDO de perder, deixou de ganhar.

Por MEDO de tentar, não conseguiu.

Por MEDO do ódio, reprimiu.

Por MEDO de sentir, não viveu.

E hoje, após tantos anos, ainda restam dois caminhos: manter o morrer,

ou lidar com o MEDO ...

E começar a viver.

Poema retirado de meu livro Divã com poesia/2013

Nara Resende

Psicóloga clínica de adolescentes e adultos, escritora de Divã com poesia, Freud Inverso e organizadora do livro O jovem psicólogo e a clínica.

Comentários