Conselho do Banco Mundial silencia detratores e diz que nomeação de Weintraub não pode ser barrada

Após inúmeros oportunistas de esquerda fazerem campanha aberta contra a nomeação de Abraham Weintraub para o Banco Mundial, o Conselho de Ética do BM acabou com toda a algazarra da trupe.

Segundo o presidente do Conselho, Guenther Schoenleitner, o Banco Mundial não pode influenciar na nomeação do ex-ministro para o cargo de diretor-executivo.

Na carta o presidente do conselho, ressalta que a administração e o Comitê de Ética não podem influenciar na nomeação ou eleição de Weintraub.

"A partir do momento em que ele se torna um funcionário do conselho, um diretor executivo está sujeito ao Código de Conduta para Funcionários do Conselho. [...] Será informado sobre suas obrigações nos termos do código de conduta, inclusive no que diz respeito a declarações públicas e não interferência nos assuntos políticos dos membros", diz a carta.

E prosseguiu:

“Nem a administração nem o Comitê de Ética do Conselho influenciam a nomeação ou eleição de um DE [diretor executivo]. Os diretores executivos são nomeados ou eleitos pelos acionistas, ou seja, países membros."

Fonte: Folha de S. Paulo

da Redação

Comentários