Grave: Wassef afirma que havia um plano traçado para assassinar Queiroz e dizer que foi a família Bolsonaro

Em entrevista divulgada hoje pela Revista Veja, o advogado Frederick Wassef explicou os motivos pelo qual Fabricio Queiroz estava em sua residência em Atibaia - SP.

Segundo Wassef, a ajuda dada a Queiroz foi um ato “humanitário”, na medida em que o mesmo estava tratando uma doença e precisava de um lugar para ficar.

Além disso, o causídico afirmou que o ex-assessor de Flávio Bolsonaro estava jurado de morte no Rio.

“Passei a ter informações de que Fabrício Queiroz seria assassinado. O que estou falando aqui é absolutamente real. Eu tinha a minha mais absoluta convicção de que ele seria executado no Rio de Janeiro. Além de terem chegado a mim essas informações, eu tive certeza absoluta de que quem estivesse por trás desse homicídio, dessa execução, iria colocar isso na conta da família Bolsonaro”, disse Wassef.

E prosseguiu:

“Havia um plano traçado para assassinar Fabrício Queiroz e dizer que foi a família Bolsonaro que o matou em uma suposta queima de arquivo para evitar uma delação.”

Indagado sobre quem teria interesse em assassinar Fabrício Queiroz, Wassef garatiu ter “informações procedentes”.

“Eu tive informações absolutamente procedentes e formei a minha convicção de que iriam matar Queiroz e iriam colocar a culpa no presidente Bolsonaro para fazer um inferno da vida dele. Na verdade, seria uma fraude. Algo parecido com o que tentaram fazer no caso Marielle, com aquela história do porteiro que mentiu.”

Fonte: Revista Veja

da Redação

Comentários