Quem tem sede, tem pressa!

Poucas vezes vi um absurdo tão grande quanto a reclamação dos petistas sobre o "oportunismo" de Bolsonaro ao inaugurar uma obra que foi superfaturada no governo do PT por seus operadores da fonte de propina do BNDES, os empreiteiros.

Fácil falar com a garganta molhada e com seu banho tomado.

As obras em estádios, em pontes, em refinarias (mesmo absurdas) ainda são infinitamente menos cruéis do que usar a esperança de água para formar um cartel que financiava as esquerdas.

Oportunismo é usar a sede do outro para sustentar um projeto ideológico!

Se JB fosse oportunista bastava segurar a obra até o ano eleitoral, mas como disse no começo do texto: Quem tem sede, tem pressa!

Raquel Brugnera

Pós Graduando em Comunicação Eleitoral, Estratégia e Marketing Político - Universidade Estácio de Sá - RJ.

Comentários