assinante_desktop_cabecalho

O impulso anticristão

Ler na área do assinante

Muitas pessoas sentem uma necessidade incontida de criticar o Cristianismo. É algo curioso em vários aspectos.

Por que a predileção da pessoa pelos ataques ao Cristianismo e não às outras religiões? Vejam Nietzsche e sua implicância sem fim contra a Cristandade e seus valores. Não tinha religião pior para o pentelho atacar?

Nietzsche e tantos outros se enervavam com o cristianismo por um motivo simples: pela força descomunal de uma Igreja que interfere em todos os planos totalitários já pensados pelo homem.

Essa interferência vem da estrutura do Cristianismo, que é baseada na Lei Natural, também conhecida como a Lei do Certo e do Errado.

Nietzsche era um relativista. "Somos todos perspectivistas", dizia ele, com isso querendo afirmar que cada um de nós tem o "direito" de ver as coisas por perspectivas diferentes.

Claro que isto é verdadeiro para gostos musicais, culinários e literários, entre outras amenidades da vida, mas não para questões importantes, tais como o destino de uma nação e a educação de uma comunidade.

O forte conceito de certo e de errado que fundamenta o Cristianismo é uma barreira para os sociopatas que desejam relativizar absolutamente tudo, sendo o ápice dessa relativização a destruição da cultura ocidental.

Marco Frenette

assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários