Fraude na Saúde em MS supera R$ 140 milhões

A Operação Redime foi deflagrada no estado de Mato Grosso do Sul.

O alvo é um grupo poderosíssimo.

Em tempos de pandemia, o Ministério Público investiga supostas fraudes que teriam acontecido nos últimos cinco anos.

Uma força tarefa composta por 70 policiais militares, 17 promotores de Justiça, 15 servidores do MPE e quatro policiais civis foi escalada para desvendar a ‘falcatrua’.

Nesta quarta-feira (1º) foram cumpridos 19 mandados de busca e apreensão.

A empresa denominada HBR Medical Equipamentos Hospitalares teria sido beneficiada do suposto esquema criminoso e de fraude em licitação. O contrato firmado em 2015, quando recebeu pela primeira vez R$ 6,2 milhões, vem sendo aditivado desde então e os repasses já superam R$ 140 milhões, considerando-se o montante de R$ 15,8 milhões pagos até este mês, conforme o Portal da Transparência.

O MPE suspeita que houve a prática dos crimes de fraude em licitações, lavagem de dinheiro, corrupção passiva e ativa, entre outros delitos correlatos. A Operação Redime apreendeu documentos, agendas, registros contábeis, anotações, comprovantes de movimentações bancárias, computadores, notebooks, dinheiro em espécie e aparelhos de telefone celular.

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Campo Grande e no interior e mais quatro estados brasileiros – São Paulo, Paraná, Ceará e Piauí.

Fonte: O Jacaré

da Redação

Comentários