Celso de Mello dá prazo de 5 dias para Pazuello se manifestar sobre orientação ao uso da cloroquina

Uma ação está em curso junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) cobrando a suspensão imediata do protocolo do Ministério da Saúde com relação ao uso da cloroquina no tratamento para o Covid-19, mesmo nos casos leves da doença.

O ministro Celso de Mello acaba de estipular prazo de cinco dias para que o General Eduardo Pazuello, ministro interino da Saúde, preste informações.

A ação é movida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Saúde (CNTS) e pretende suspender o protocolo mais recente da cloroquina divulgado pelo ministério.

A entidade quer que o governo federal também seja impedido de receitar cloroquina ou hidroxicloroquina para pacientes acometidos de Covid-19 durante "qualquer estágio da doença".

Assim, caso o ministro acate o pedido, o Ministério da Saúde e demais órgãos ficarão impedidos de divulgar orientações para que as pessoas façam uso destes medicamentos.

Após manifestação de Pazuello, Celso de Mello irá decidir.

É lamentável que uma possibilidade de cura, com diversos relatos, inclusive de médicos renomados como David Uip e Roberto Kalil Filho, esteja na iminência de ser negada ao cidadão brasileiro, principalmente para os mais pobres.

Fonte: Correio Braziliense

da Redação

Comentários