Para Maia "redes sociais resistem à lei das fake news porque vivem do 'radicalismo'...” (veja o vídeo)

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu neste sábado (4) o projeto de lei das fake news recém-aprovado pelo Senado e que vai começar a ser debatido pelos deputados. Maia ressaltou que o Legislativo precisa aprovar um texto que permita identificar e punir os financiadores das estruturas de disseminação de notícias falsas, fenômeno que, segundo ele, é articulado no mundo todo com o objetivo de fragilizar a democracia por meio de ataques às instituições.

“As plataformas digitais não querem esse debate, elas vivem exatamente desse radicalismo. Um telejornal bota a notícia que quiser e vai responder por ela, qualquer um de nós responde por nossos atos, e as plataformas por onde passam milhões de informações que viralizam ninguém quer ter ter responsabilidade”, disse.

Maia falou em videoconferência organizada pelo grupo Prerrogativas, que reúne advogados.

Maia Botafogo, desqualificado para o cargo que ocupa e nocivo à sociedade, mais uma vez demonstra sua ausência de caráter, valores e princípios morais e éticos, ao tentar censurar o povo.

As mídias sociais espelham o pensamento e permitem a livre expressão. Ocorre que Botafogo Maia não está disposto, assim como Alcolumbre que se mobilizou a apressar a votação do PL da censura, mesmo sob protestos de outros senadores, a ler e ouvir críticas. Não. Eles querem a mordaça aplicada a todos. Ambos agem em favor dos poderosos porque têm interesses ocultos – o arquivamento de inquéritos da PF e a apuração de outras irregularidades.

Botafogo, vá trabalhar! O expediente na Câmara começa na terça-feira e termina na quinta-feira. Um acinte! O POVO pagador de tributos sustenta a Câmara, os milhares de servidores e funcionários comissionados – os puxadores de maçanetas – e os luxos dos deputados.

Confira:

Ricardo Torre

Comentários