assinante_desktop_cabecalho

“Um recado para todos aqueles que desejaram a morte da minha família e a contaminação pelo Covid-19”

Ler na área do assinante

Aos prezados amiguinhos, defensores do amor, que me deixam lindos comentários desejando a morte da minha família, toda vez que eu falo contra o isolamento social.

Eu sei que capacidade cognitiva não é o ponto forte de quem acredita que problemas econômicos podem ser resolvidos com impressão de mais dinheiro; que políticos, de repente, passaram a se preocupar com a vida dos cidadãos; ou que trocam a liberdade por uma "segurança" imposta. Gostaria, então, de tranquilizá-los e dizer que podem ficar sossegados porque a minha família vai ser contaminada pelo Covid. Assim como as suas; assim como eu ou vocês.

Talvez, nas aulas ministradas pelo método pedagógico de Paulo Freire, não tenham aprendido o básico de biologia. Então, vale fazer um resuminho.

Um vírus não "some". Os Coronas, aliás, provavelmente já existem desde antes da humanidade; bem como incontáveis outros tipos, causadores das mais variadas doenças.

Existem, portanto, somente duas formas de "encerrar" uma pandemia.

A primeira, bem mais moderna, descoberta somente no final do século XVIII, é a vacinação.

Uma vacina, porém, pode demorar ANOS para ficar pronta. A segunda, utilizada desde que o mundo é mundo, é a "imunização de rebanho", quando a maior parte da população contrai a doença e, então, o corpo produz anticorpos contra ela. O vírus continua existindo e nós continuamos contraindo, mas tona-se inócuo naqueles que já estiverem imunizados.

Sim, eu sei que mais de 500 mil pessoas já morreram vítimas do Covid e nem vou questionar os dados oficiais, que foram sabidamente manipulados. Mas estamos falando de um mundo com 8 BILHÕES de pessoas, onde pouco mais de 11 milhões foram infectados. Ou seja, uma infecção de 0,13% e uma letalidade de 4,5% dos infectados, sendo a maioria absoluta pacientes com comorbidades pré-existentes.

Vale lembrar, ainda, que segundo a própria OMS, até 80% dos casos podem ser assintomáticos; o que eleva a baixíssima taxa de infecção, mas reduz ainda mais a taxa de letalidade.

Por outro lado, e também citando somente dados oficiais, temos a Unicef dizendo que 1,2 milhão de crianças morrerão pelas consequências das quarentenas, a ONU dizendo que o número de pessoas em situação de fome mais que dobrou, logo no primeiro mês de isolamento, ou o IBGE dizendo que apenas 49,5% dos brasileiros estão tendo algum tipo de trabalho.

Temos também estudos das mais variadas fontes: University of Chicago, Harvard, Sorbonne, U.S Bureau of Economic Analysis, London City Hall, mostrando a correlação entre as crises econômicas e os mais diversos problemas sociais. Suicídios, violência doméstica, abuso infantil, alcoolismo, uso de drogas...

Então, caros amigos, enquanto vocês desejam a morte, para mim e para minha família, eu lhes desejo INTELIGÊNCIA. Afinal, somos obrigados a conviver em sociedade e estar cercado de idiotas, covardes, que são levados pelo pânico e ignoram fatos; não ouvem especialistas, mas apoiam as loucuras do governador de cashmere cor-de-rosa, é mais prejudicial do que qualquer vírus.

Dois beijos pra vocxs!

"Os idiotas vão dominar o mundo; não pela capacidade, mas pela quantidade. Eles são muitos!" (RODRIGUES, Nelson)
Foto de Felipe Fiamenghi

Felipe Fiamenghi

O Brasil não é para amadores.

assinante_desktop_conteudo_rodape
Ler comentários e comentar