De volta para o passado: Onde os governadores e prefeitos querem chegar?

Existem algumas pessoas que que acreditam que podemos voltar ao passado. Pois bem, é assim que me sinto, quando vejo todas as coisas que estão acontecendo.

Sinto como se tivesse voltado a muitos anos atrás. Me vejo nos campos das fazendas, nos canaviais, me vejo colhendo grãos. Me sinto amarrada ao tronco, sinto as chibatas da torturante correção.

Me sinto dentro de uma senzala, pés e mãos atadas, não sou livre, não posso fazer minhas próprias escolhas. Somos vigiados por capatazes e feitores.

Me vejo ansiando, sonhando, clamando por liberdade, entretanto, estão querendo calar a minha voz.

Onde os governadores e prefeitos querem chegar? Sim, nós sabemos, eles querem é finalmente derrubar o presidente e tomar o poder.

Ridiculos.

Parece que não sabem que o Brasil veste verde e amarelo. No mastro, em sua bandeira está escrito ordem e progresso. Ainda é verde e amarelo.

Minha pergunta é: “Onde está a Ordem, onde está o Progresso?

A nação grita, vai às ruas, e pede liberdade, liberdade. Mas volta para suas casas com pés e mãos atadas. A nação grita, mas ninguém escuta.

Senhores governadores e prefeitos, nas próximas eleições, não esqueceremos de tudo que têm feito contra a nação. Voçes não serão esquecidos. Vocês são como uma tsunami, vieram para destruir tudo.

Mas nós clamamos por liberdade.

O mesmo Deus que tirou o povo das mãos de Faraó quando estavam sendo oprimidos no Egito, também nos livrará dos opressores no Brasil.

Porque nós não dobraremos nossa cerviz diante de homens corruptos e mortais, mas escolhemos dobrar nossos joelhos, em humilhação e expectação diante do Todo Poderoso; não calaremos nossas bocas só porque vocês nos amordaçam com sua censura, antes, clamaremos em alto e bom som ao Senhor de toda a terra, queremos ordem, queremos progresso.

Alguns governadores e prefeitos serão lembrados como ditadores e terroristas, pois causaram pânico, desemprego, lamentação e morte no meio da população mais humilde e indefesa.

Em 15 de novembro não esqueceremos de vocês.

Nilza Machado

Comentários