assinante_desktop_cabecalho

O empresário preso e a “rachadinha” com o MBL

Ler na área do assinante

A cada revelação, a situação do malfadado Movimento Brasil Livre fica mais complicada.

A molecada parece ser absolutamente sem escrúpulos.

Tudo indica que o MBL inovou no esquema da “rachadinha”.

De acordo com o apurado pelo Ministério Público de São Paulo, há indícios de que o empresário Alessander Mônaco Ferreira, preso na última sexta (10) na Operação Juno Moneta, doava ao MBL, em média, R$ 6 mil por mês, o que correspondia a seu salário líquido no governo de São Paulo.

Quer dizer, na “rachadinha” que promovia, o MBL ficava com 100%.

Algo jamais visto em esquemas desse tipo.

Haja criatividade.

Aliás, a maneira como a verba era repassada, é outra inovação espetacular.

As doações eram feitas durante transmissões de vídeo do movimento pelo YouTube e, segundo o promotor Marcelo Batlouni Mendroni, tinham o objetivo de ocultar a origem da doação.

“Os pagamentos efetuados via Superchat são muito menos rastreáveis no que tange à origem do dinheiro – há diversos vídeos no Youtube mencionando a possibilidade de doações por meio de compra de cartões pré-pagos, facilitando eventual prática de lavagem de dinheiro”, diz o pedido de prisão e bloqueio de bens do empresário.

O MBL nega.

Aguardemos...

Fonte: O Antagonista

da Redação
assinante_desktop_conteudo_rodape
Ler comentários e comentar