Exclusivo: Entrevista com Oswaldo Eustáquio, jornalista preso pelo STF (veja o vídeo)

Em conversa reveladora com a equipe da TV Jornal da Cidade Online, em Brasília, o jornalista Oswaldo Eustáquio Filho falou sobre sua prisão e das humilhações que sofreu.

Antes de ser preso, ele fez uma live com Roberto Jefferson, na qual o ex-deputado denunciava um golpe em curso contra o presidente Bolsonaro. Oswaldo Eustáquio estava investigando também supostas irregularidades envolvendo a advogada Viviane Barci de Moraes, esposa do ministro Alexandre de Moraes.

Em um ataque brutal à liberdade de imprensa e de expressão, Eustáquio, que é um jornalista diplomado e premiado, foi preso no dia 26 de junho, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, a pedido da Polícia Federal, pedido esse deferido pelo Ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), no âmbito do inquérito aberto pelo Supremo que apura o suposto financiamento de ‘atos antidemocráticos’.

Oswaldo Eustáquio foi libertado no dia 05 de julho, mas com severas restrições: o jornalista está proibido de deixar o Distrito Federal e deverá manter distância de pelo menos um quilômetro da Praça dos Três Poderes e das residências dos ministros do Supremo. Eustáquio também não poderá usar redes sociais nem manter contatos com pessoas investigadas. Ou seja, o jornalista está impedido de trabalhar e ganhar o pão de cada dia para sustentar os filhos.

Jornalista sofreu humilhações

Oswaldo Eustáquio foi levado de avião de Mato Grosso do Sul para Brasília, sem água e sem comida, e foi obrigado a tirar a roupa várias vezes, para a polícia ver se ele não estava carregando drogas, como se o jornalista fosse um bandido. Na cela, o agente lhe negou água e falou que se ele quisesse água, era só apertar o botão, referindo-se à descarga da privada.

Confira alguns destaques da entrevista:

Prisão sem tipificação criminal

“Não há uma tipificação criminal para minha prisão, eu fui preso porque estaria fugindo do país. Ora, minha prisão foi deferida no dia 25 de junho, eu estava na região da fronteira, em Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, onde tenho família, no dia 22, 23, eu estaria fugindo do que, se a prisão fora decretada apenas 3 dias depois? Então, houve uma incoerência da Polícia Federal e do Supremo Tribunal Federal.”

Oswaldo Eustáquio quer criar uma associação de jornalistas independentes

“O silêncio da Fenaj, o silêncio da Abraji, o silêncio daqueles que deveriam me defender, me tornou mais forte, num pensamento que eu tinha há algum tempo. Já que aqueles que deveriam me defender, nos defender, defender a classe jornalística, já que eles se calaram, eu vou convidar você, minha colega jornalista, e todos os jornalistas do Brasil que tenham um entendimento diferente deles, a fundar a associação latino-americana de jornalistas independentes, para que nós tenhamos voz”.

Filiação ao PTB e vaga no Senado

“Quando eu vou preso por um ministro do STF, que faz isso de forma arbitrária e vejo vários pedidos de impeachment de ministros, e só o Senado tem a legitimidade para botar em pauta... E nós temos 81 senadores que não estão fazendo o que deveriam. Se eles não fizerem até 2022, vai ter um novo senador que vai fazer, que vai se chamar Oswaldo Eustáquio”.

Veja o vídeo:

Nota da Redação: Até o momento da gravação da entrevista, nenhuma entidade ligada aos jornalistas havia comentado o caso de Oswaldo Eustáquio. No entanto, no dia 06 de julho, a Ordem dos Jornalistas do Brasil divulgou uma nota de apoio, criticando as restrições do exercício da profissão jornalística impostas a ele.

da Redação

Comentários