Vai ser bom de não ver...

Com Jair Bolsonaro recolhido em casa e sem dar entrevistas; os números de recuperados do Vírus Chinês suplantando em disparada o número de óbitos; o Judiciário em recesso (à exceção do famigerado bocão do Gilmar); e o SBT transmitindo na quarta-feira o FlaFlu da final do campeonato carioca, o Jornal Funerário (ex JN) vai se virar pra arrumar pautas durante a semana.

A tendência é que passe a abraçar a tal campanha absurda de "Perdoar o PT", como se aquele partido corrupto, ladrão, entreguista, farsante e genocida merecesse alguma coisa que não seja a extinção pura e simples.

Como não assisto aquela bosta e meus amigos também não, vou esperar pra ver se vai rolar alguma repercussão no Twitter.

E por falar em repercussão: um programa na Globo, para se manter no ar, precisava estar assentado no tripé Audiência - Faturamento - Repercussão.

Do jeito que vai, o JF vai ficar sem os três. Ok, não vai sair do ar, mas a cada dia vai ter menos relevância. E menos importância.

Conto com vocês para que essa praga seja apenas mais um sucesso de “des-audiência” da Globo. A partir daí, a queda do faturamento e a perda da repercussão serão favas contadas.

Alberto Saraiva, que passou a viver melhor quando tirou a peste da Globosta de sua vida.

Alberto Saraiva

da Redação

Comentários