Os ditados populares que explicam o Governo Bolsonaro

Existem muitos ditados populares que cabem como uma “luva” no Governo do Presidente Bolsonaro, e tenho certeza que igual a mim, quem ler lembrará de algum acontecimento do governo em questão.

“A pressa é a inimiga da perfeição”;
“A corda sempre arrebenta do lado mais fraco”;
“Amigos, amigos, negócios à parte”;
“De médico e louco, todo mundo tem um pouco”;
“Devagar se vai longe”;
“Esmola demais até santo desconfia”;
“Mais vale um pássaro na mão do que dois voando”;
“Não ponha a carroça na frente dos bois”;
“Onde há fumaça, há fogo”;
“Nem tudo que reluz é ouro”;

Entre tantos outros que podem ser pensados. Mas têm uns que estão dando lavada na esquerda que torce contra o Governo Federal e o país.

“Deus ajuda quem cedo madruga”

Enquanto estão procurando motivos para derrubar um governo legítimo, eleito democraticamente, Presidente e ministros não estão dormindo.

“Posto Ipiranga” – Mais conhecido como Ministro Paulo Guedes – cada dia que passa “arrebenta” com a esquerda colocando a economia e o Brasil em lugares de destaques. Puxou para si a responsabilidade de mostrar aos brasileiros e ao mundo como se faz, e se faz bem feito, em plena pandemia. Ministro Tarcísio entregou nos primeiros 6 meses de 2020 36 obras além de 2 leilões de concessão e a renovação antecipada do contrato de concessão da Malha Paulista.

“Mesmo com a pandemia, o planejamento estabelecido pelo Ministério da Infraestrutura seguiu firme. Conseguimos concluir obras, realizar entregas parciais, estruturar projetos”, afirmou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas.

Ministra Damares Alves com atitudes, muitas vezes severas e, principalmente, com sua fé, levou ajuda de diversas maneiras ao povo que precisa. Quer seja na parte social, econômica, na justiça, protegendo nossas crianças e famílias de diferentes males, a Ministra Damares, muitas vezes com a Primeira Dama Michelle, não mediram esforços para “não deixar ninguém para trás”.

Já a Ministra Tereza Cristina, no Ministério da Agricultura, mediou a coesão do transporte e agronegócio, e assim não faltou alimentos na mesa dos brasileiros em tempos de pandemia, e de “quebra” produziu aumento no setor, fazendo o PIB respirar em 6 meses de 2020.

Temos muitos outros Ministros sob a batuta do Presidente Bolsonaro que “Cedo madrugam”, fazem que o Brasil fique fortalecido e ganhe respeito nessa situação “implantada” por comunistas no mundo e no nosso país.

“Quem com ferro fere, com ferro será ferido”;

Esse, na minha opinião, está relacionado com Ministros do STF, Governadores e Prefeitos que tiraram do Governo Federal o poder de ajudar o povo na hora da pandemia, transformando-o em “caixa rápido” e espectador; agora, os mesmos que feriram têm em seus colos as mortes, empresas fechadas, desempregados, desvios de dinheiro e desilusão. Foi bom para o Presidente Bolsonaro ter ficado como espectador, ao lado do povo.

“Pior cego é o que não quer ver”;

A grande mídia usando de sua força para ajudar os pessimistas de plantão a ficarem contra o Governo Federal, com falsas notícias, notícias distorcidas, ou até escondendo fatos e informações relevantes. Grandes mídias não têm interesse em enxergar a verdade com o único intuito de escravizar o povo pelo medo, atendendo aos próprios interesses. Para esse tipo de mídia, quem a paga mais é quem tem razão.

“De grão em grão, a galinha enche o papo”;

As FFAA foram precisas e cirúrgicas nas ajudas humanitárias. Fazendo um papel de excelência, Exército, Marinha e Aeronáutica se fizeram presentes em todos os ministérios: seja na entrega de alimentos, distribuição de medicamentos, conscientização da higienização de espaços hospitalares e outros ambientes públicos, assim também na manutenção de rodovias, essas forças, aos poucos foram garantindo que cada ministério cumprisse seu papel em tempo de crise.

E o Presidente Bolsonaro, estadista que é, não deixa por menos, “Come o mingau pelas beiradas”; enquanto muitos pensam que ele não sabe o que está acontecendo; acreditam que não vê os erros e acertos daqueles que o cercam, realiza seu trabalho de executivo. Passeia por todos os ministérios, instituições, sem problema de se queimar.

Afinal, muitas vezes é necessário um “trabalho de formiguinha” para se alcançar um objetivo, e dessa forma seu governo conquista cada vez mais a credibilidade, a confiança e o apoio do povo.

Seguindo em passos firmes e certeiros, nada mais justo terminar 2022 afirmando que:

“Quem ri por último, ri melhor:”

Claiton Appel

Jornalista. Diretor da Ordem dos Jornalistas do Brasil.


Comentários