“E se alguém afirmasse que ‘o STF está se associando a um genocídio’?”

Esta é a nossa pergunta ao Presidente do Supremo Tribunal Federal, depois que o Ministro Gilmar Mendes, no último 11 de julho, associou nosso Exército ao termo “genocídio”, definido, - vale ressaltar, - como “extermínio deliberado de pessoas, motivado por diferenças étnicas, nacionais, raciais, religiosas e, por vezes, sociopolíticas”.

Associar essa Corte a algo tão abominável não seria considerado “ato grave”, que resultaria em METICULOSO INQUÉRITO e SEVERA PENALIZAÇÃO?

Eis porque perguntamos também: O que foi afirmado pelo ministro dessa Corte, - e que provocou forte reação em documento assinado pelo Ministro da Defesa e pelos Comandantes das Forças Armadas, – não negligenciou ostensivamente a sabedoria contida naquele conhecido “ditado popular” muito usado, aliás, na caserna pelos que ocupam posição de chefia ou comando: O EXEMPLO VEM DE CIMA?

Se nada for feito em relação a essa “suprema, contundente e tão chocante afirmação”, essa Corte não corre o risco de ficar mortalmente marcada como instituição respaldada naquele outro ditado arrogante e nada democrático: FAÇA O QUE EU DIGO, MAS NÃO FAÇA O QUE EU FAÇO?

Qualquer omissão, portanto, nesse caso, por parte dessa Corte, - como representante máxima do nosso Judiciário, - não estaria em total desacordo com a INTEGRIDADE DA JUSTIÇA?

Ficam aqui nossas últimas perguntas: As palavras de Gilmar Mendes, – ditas por ele conscientemente, em pleno uso de suas faculdades mentais, curiosamente dias após a aprovação do Projeto de Lei 2630/2020 contra as fake news, - não se constituem, por si só, em FALSA AFIRMAÇÃO, que exige IMEDIATA E JUSTA RETRATAÇÃO?

Não é exatamente assim que aqueles que escolheram a missão de prestar serviços à Suprema Justiça e à sociedade deste país devem – ou deveriam - agir?

L. Oliver

Redatora e escritora, com diversos prêmios literários, e autora de projetos de conscientização para o aumento da qualidade das sociedades brasileira e global. Participa do grupo Empresários Associados Brasil, que identifica empresas e profissionais em busca da excelência em produtos e serviços no país e no Exterior. Criou e administra o grupo “Você tem poder para mudar o Brasil e o mundo”, de incentivo à população no combate à corrupção. https://www.facebook.com/groups/1639067269500775/?ref=aymt_homepage_panel

Comentários