"Não temos muito tempo", avisa virologista que fugiu da China para os Estados Unidos (veja o vídeo)

Li-Meng Yan deixou a família na China para dizer a "verdade" sobre o novo coronavírus.

A médica, em entrevista à Fox News garante que a China e também a Organização Mundial de Saúde (OMS) tinham pleno conhecimento da existência e do perigo do novo coronavírus muito antes de anunciarem oficialmente o surto que ocorreu em Wuhan, China.

Li-Meng Yan é especialista em virologia e imunologia e era uma das encarregadas de estudar o coronavírus, até que as suas descobertas a levaram a fugir da China para os Estados Unidos em abril deste ano.

A médica sustenta que há vidas que poderiam ter sido salvas caso o seu trabalho não tivesse sido censurado.

Yan diz ainda que o governo de Pequim sabia em dezembro que mais de 40 pessoas tinham sido infetadas com o novo coronavírus e que as transmissões entre humanos já estavam a ocorrer. Porém, isso só foi reconhecido muito tarde pela China e pela OMS. A 9 de janeiro, a OMS ainda indicava que a infeção não se transmitia facilmente entre pessoas, segundo informação prestada pela China.

"E eu quero que eles compreendam, e eu também quero que o governo dos EUA perceba quão terrível isto é. Não é como o que viram… Isto é uma coisa muito diferente. Nós temos que ir atrás das provas reais e encontrar as provas reais porque são peças-chave para travar esta pandemia. Não temos muito tempo", disse.

Veja o vídeo:

Fonte: R7 e Sábado

da Redação

Comentários