A boca que não quer calar

Na era da obsessão todo mundo quer ter razão

Quem ontem ficava na janela

Hoje não sai da frente da tela

Computador e celular só muda para revezar

Sem tempo pra descansar gastam a própria vida

Falando da vida dos outros.

É o sujo falando do mal lavado

É o certo que virou errado

As palavras já não saem dos lábios

Procuram expressão nos teclados

Que digitam freneticamente ofensas

Às pessoas que diferente pensa

Os mais exibidos fazem vídeos e “lives”

Para falar com o mundo todo

E ao mesmo tempo falar com ninguém

A conversa face a face está suspensa

Esse é um tempo muito esquisito

Comunicamos com os estranhos

E estranhamos os parentes

Mas isso vem de longe

Muito antes da pandemia

Os sinais de afastamento

A correria insana para fora de casa

Virou calmaria dentro da casa?

Só que não é bem assim

Confundimos isolamento social

Com abandono afetivo

Todos ilhados na própria casa

Que está longe de ser um lar

A política ocupa o lugar da religião

Há devotos de direita e de esquerda

As igrejas estão fechadas para oração

O medo da morte altera os sentidos

Os políticos já não fazem mais sentido

Roubaram no passado e no presente

E agora uma nova modalidade de ladrões,

De liberdades!

Bernadete Freire Campos

Psicóloga com Experiência de mais de 30 anos na prática de Psicologia Clinica, com especialidades em psicopedagogia, Avaliação Psicológica, Programação Neurolinguística; Hipnose Clínica; Hipnose Hospitalar ; Hipnose Estratégica; Hipnose Educativa ; Hipnose Ericksoniana; Regressão, etc. Destaque para hipnose para vestibulares e concursos.

Comentários