Damares, a nova vítima do absolutismo judicial

Depois de Abraham Weintraub, agora o alvo da vez, para os velhacos que infelizmente ainda têm voz na república e tentam a todo custo desmantelar o Governo Bolsonaro para inviabilizá-lo, é Damares.

Novamente, um Ministro de Estado se vê levado ao STF por suas falas na tal reunião interministerial do Governo, que veio à tona na “conspiração Moro”: apenas porque Damares disse na ocasião que governadores e prefeitos que vinham desrespeitando os direitos humanos (especialmente a liberdade e o direito ao trabalho) mereceriam ser presos, responderá pela prática de CRIME CONTRA A SEGURANÇA NACIONAL.

Vejam a gravidade disso: agora uma pessoa é capaz de receber uma acusação de prática de Crime Contra a Segurança Nacional por dizer privadamente que um governador tem que ser preso.

No regime brasileiro, qualquer um pode entrar com o processo que quiser. É uma garantia constitucional: quem quer mover o Judiciário, que entre na Justiça; ninguém pode fazer nada para impedir.

O problema não está aí: ações judiciais absurdas e infundadas sempre existiram, e sempre existirão. O problema está em um juiz do STF receber um processo dessa natureza, com uma acusação leviana e infamante como a imputada à Ministra Damares, e dar prosseguimento a ele.

O Brasil não está mais em um Estado de Direito. Eu já falei várias vezes que estamos em um regime totalitário de absolutismo judicial, que estamos fora do princípio da legalidade.

A “revolução semântica”, que é a atividade de mudar o sentido das palavras de acordo com o que se pretende, chegou agora à Suprema Corte, que opera dentro da mais completa arbitrariedade, fazendo o que quer com as leis, alterando o seu sentido a seu bel-prazer.

Pobre Damares! Fiquemos todos solidários a ela, e torçamos para que ela mantenha a serenidade para responder o processo que tiver que responder.

Mas saibamos, por outro lado, que a Ministra Damares é daquelas que quanto mais os seres demoníacos a atacarem, mais fortalecida ela ficará. Ela é daquelas que não se aquebranta frente às dificuldades da vida, e muito menos se dobra aos seus inimigos.

Por isso, quem acha que derrubará Damares vai quebrar a cara. Se a elegerem como o alvo da vez, na sua tentativa sórdida e golpista de atingirem o Presidente da República e seu governo, que se preparem para a guerra. A mulher virá com tudo para cima de quem a ataca, e mais máscaras cairão, mais entranhas serão expostas, e mais gente graúda perderá publicamente a (pouca) credibilidade.

Todo nosso apoio à Ministra Damares. Que ela continue tocada pela mão do Espírito Santo em seu incansável trabalho. O Brasil de bem precisa muito dela.

Comentários