Anvisa algemou a Cloroquina

Sabe aquela expressão “o inimigo do meu inimigo é meu amigo”? Pois bem, parece que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está seguindo um pouco diferente esse dito popular: o amigo do meu Presidente é meu inimigo, ao restringir o comércio da Cloroquina, Hidroxicloroquina, Nitazoxanida e Ivermectina.

No dia de ontem, 23, a Anvisa obrigou as farmácias de todo o Brasil a exigirem receitas com folha dupla, por meio da Resolução 405/2020. A justificativa da Anvisa para essa medida drástica é para “coibir a compra indiscriminada de medicamentos” e “manter os estoques destinados aos pacientes que possuem indicação médica para uso desses produtos”.

Prosseguiu a Anvisa em sua nota “a compra desses produtos em farmácias e drogarias somente poderá ocorrer mediante apresentação da receita médica em duas vias, devendo a primeira via ser retida no estabelecimento”.

Justamente quando o Presidente Bolsonaro tem demonstrado resistência a ação do vírus chinês, pois está usando a Cloroquina para o combate dos sintomas, a Anvisa resolveu controlar a “as criminosas” Cloroquina e Hidroxicloroquina juntamente com a dupla de antiparasitário e vermífuga que circulavam nas gôndolas das farmácias do Brasil.

Sim, é verdade, que aqueles que padecem de comorbidades como Lúpus e Malária precisam da Cloroquina para os seus tratamentos, mas e quanto o vermífuga e o antiparasitário?

Esses últimos sequer necessitavam de receitas?

Pois a única finalidade era atacar vermes e parasitas que a todo tempo nos atacam em restaurantes, em nossos alimentos ou em nossos sistemas de saneamento degradantes.

Bom, como todos esses medicamentos estavam chegando ao conhecimento popular, e estavam ficando raros e caros em nossas farmácias, a “quadrilha” foi algemada pela Anvisa.

Agora a população não terá acesso fácil aos quatro medicamentos, teremos que consultar o médico e contar com a coragem e ousadia desse profissional para prescrever a tal receita duas folhas.

O Presidente Bolsonaro tem sido um bom exemplo de como o tratamento com a Cloroquina é benéfico. O vírus permanece em seu corpo, mas a infecção não tem alcançado êxito, pelo contrário, o nosso Presidente está cada dia mais forte e tem se mostrado um ótimo “garoto propaganda” da Hidroxicloroquina.

Seja como for, a Anvisa quer a tal comprovação científica que nunca teve a coragem de divulgar a taxa de sucesso de comorbidades mais vorazes, como o Câncer, por exemplo.

Mas agora, como autoridades supremas, se sentem oráculos da verdade, ao exigir comprovação científica de uma vermífuga que mata um bichinho que qualquer brasileiro médio tem.

É como eu disse, parece que o que vale é “o amigo do Presidente é meu inimigo”.

Daniel Souza Júnior

Editor do blog Teoritica. Aluno do Programa de Mestrado em Administração da ESAG/UDESC.

Comentários