Tem gente que em breve irá descobrir que colocou uma tampa sem respiro numa panela de pressão

Proibir o outro de pensar algo é impossível.

Admita, por vezes você não consegue calar os próprios pensamentos incômodos.

Você pode proibir a expressão do pensamento do outro, como pode proibir que tal pensamento se traduza em ação.

Os tiranos sempre fizeram isso, com variados graus de eficácia. Eficácia que não se aplica mais em tempos de comunicação remota, de redes sociais.

Ah, você pode calar o Facebook, o Google, o Twitter, mas aí talvez vá todo mundo para a deepweb e não se saiba mais nada, e aí, quando toda expressão do pensamento estiver confinada nas catacumbas, possamos esperar a tradução de pensamentos em ações potencialmente terríveis, quando iremos nos perguntar: "de onde veio isso?".

Não teríamos sido mais prudentes, ainda que não tivéssemos por princípio apreço à liberdade de expressão ampla (eu tenho, sou minoria, eu sei), se tivéssemos deixado o que confinamos às profundezas escuras exposto ao debate público, livre?

"Ah, mas e a mentira? E a fake news? E o discurso de ódio?".

Ora, ora, não meça a inteligência dos outros pela sua. E mesmo que sua inteligência seja muito parca para presumir que todos são tão ou mais desinteligentes do que você mesmo, convenha: não é proibindo os indivíduos de se expor a mentiras que lhes ensinaremos a distinguir as mentiras das verdades, as versões dos fatos, sim?

E como alguém poderá identificar o que é "ódio" se confinarmos o debate público a um jardim de infância?

Às vezes, esse censores e canceladores de nosso tempo me lembram os Teletubbies. Isso, a mídia dos sonhos dessa gente é Teletubbies em tempo integral.

A diversidade admitida é: um é azul, outro amarelo, outro verde, outro vermelho. Mas todos pensam igual e não falam nada que possa remotamente ofender alguém ou o que quer que seja. Teletubbies com uma estética Felipe Neto, não é muito diferente mesmo, é?

Tem gente idiota, ressentida, escrevendo coisas idiotas, ressentidas, por aí? Tem, eu até acho feio às vezes. Mas nunca pretenderei que meu senso estético seja árbitro dos pensamentos alheios. Até porque eu não poderia revogar esses pensamentos. Mesmo se pudesse, não desejaria, pois a exposição ao feio reforça para mim o que é a beleza.

Desista de tentar impedir os outros de pensar o que pensam. Pense em desistir de impedir os outros de expressar o que pensam, pois, se você impedir, talvez descubra um dia que colocou uma tampa sem respiro numa panela de pressão.

Aurélio Schommer

Membro do Conselho Curador na Fundação Cultural do Estado da Bahia - Funceb e Membro Titular no Conselho Estadual de Cultura da Bahia.

Comentários