Começa hoje “A Maior Ação Do Mundo” que denuncia que "a ditadura chegou ao Brasil", mas não foi pelas mãos de Bolsonaro (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

Finalmente, teve início nesta segunda-feira, 27, a chamada “A Maior Ação do Mundo” que consiste no envio de denúncias, relatos e notas dando conta para a comunidade internacional do que vem acontecendo no Brasil em relação às violações de direitos humanos fundamentais e ofensas aos direitos de advogados.

No dia de hoje, os advogados dos “censurados” pelo Inquérito das Fake News completaram incríveis 70 dias sem o acesso a íntegra do Inquérito.

“#AMaiorAçãoDoMundo ou #TheGreatestLawsuitintheWorld”, são as ‘hashtags’ utilizadas na campanha.

Em quatro partes, a ação será enviada a inúmeras Instituições, órgãos, representações, ativistas e jornalistas de todo o mundo e também a Corte Interamericana dos Direitos Humanos.

Será feita da seguinte forma:

1 - Os protocolos serão realizados entre os dias 27 e 30.
2 - As petições protocoladas serão liberadas até o dia 31.
3 - Os protocolos serão compilados e protocolados junto a Secretaria de Direitos Humanos representada pela Ministra Damares Alves, bem como nos HCs em curso e na ADI proposta pela AGU.
4 - Nas próximas semanas os advogados continuarão acompanhando as respostas dos notificados.

O advogado do jornalista Bernardo Küster - um dos ‘censurados’ - Emerson Grigollette, gravou um vídeo denunciando todas as violações (de prerrogativas e direitos constitucionalmente garantidos), praticadas no âmbito do Inquérito 4781 no Supremo Tribunal Federal.

Falando em inglês, a principal intenção é que esse vídeo acompanhe o protocolo das ações judiciais e o envio dos comunicados extrajudiciais. E que, além disso, viralize, pois o mundo “precisa saber que a ditadura chegou no Brasil, mas não foi pelas mãos de Bolsonaro”.

Não deixe de apoiar a campanha e compartilhe as hashtags “#AMaiorAçãoDoMundo e #TheGreatestLawsuitintheWorld” em suas redes sociais.

Confira o vídeo oficial, lançado hoje:

da Redação
Ler comentários e comentar