A morte do jornalista Rodrigo Rodrigues e a crítica ao uso da hidroxicloroquina

Nesta terça-feira (28) morreu Rodrigo Rodrigues por Covid.

Não conhecia o Rodrigo, mas vi muitos amigos que o conheciam lamentando a perda.

Rodrigo postou um pouco antes de ficar doente uma crítica ao uso da Hidroxicloroquina e uma sátira ao presidente.

Pronto! Bastou para uma turma do lado de cá bravar e até comemorar sua morte.

Diferente de vários outros que já postei aqui, no caso do Rodrigo não é a lei do retorno... já que, até o momento pelo menos, não apareceu nenhuma postagem dele desejando a morte de alguém.

Precisamos entender que a morte não deve ser comemorada!

Isso não é o que se espera de alguém que levanta a bandeira do conservadorismo.

Criticar e satirizar faz parte do jogo. A pessoa não gostar de quem você gosta, também.

Desde que o sujeito não interfira na sua família e na educação dos seus filhos, devemos respeitá-lo na sua opinião e escolha.

Quem impõe que o outro pense igual não somos nós!

Por favor, não se igualem a eles!!

Flavia Ferronato. Advogada. Coordenadora Nacional do Movimento Advogados do Brasil.

Comentários