Levy diz que indicadores do 3º trimestre sinalizarão melhora da economia

O ministro afirmou que as medidas do ajuste fiscal são essenciais para que o emprego se recupere

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, em palestra realizada este fim de semana, garantiu que os riscos para a economia, atualmente, são menores do que os do início do ano. Em sua opinião, "houve uma mudança qualitativa distinta" de cenário. 

Levy entende que, não obstante a previsão do mercado de aprofundamento da recessão entre abril e junho, o segundo trimestre será de transição, que ainda não será captada pelos indicadores econômicos. O ministro sinalizou ainda que a melhora deve começar a ser captada pelos indicadores no terceiro trimestre.

"Muita gente tinha dúvida sobre a economia brasileira, o rumo que ia tomar. Muita coisa mudou desde o começo do ano. Vencemos estes desafios imediatos. O primeiro trimestre é reflexo de uma dinâmica que a gente está trabalhando para mudar", disse Levy.

Apesar dos últimos números negativos trazidos pelo IBGE, que revelaram a contração de 0,2% no PIB no primeiro trimestre, Levy demonstrou otimismo. 

O ministro afirmou que as medidas do ajuste fiscal são essenciais para que o emprego se recupere e, com ele, o crescimento econômico. 

"Nós temos visto o desemprego aumentar um pouco e temos que, portanto, tomar ações enérgicas para evitar que a economia possa entrar em algum processo mais extenso de recessão, nós não queremos isso, muito pelo contrário. Nós temos que focar todas as nossas ações, nossa energia para voltarmos a crescer, para criamos empregos, e é por isso que o governo tem tido tanto compromisso em passar, em vencer essas medidas legislativas associadas ao ajuste fiscal para podermos tratar de uma agenda, que é uma agenda de crescimento."

da Redação

Comentários