assinante_desktop_cabecalho
assinante_desktop_menu_principal

Foro de São Paulo ataca a Justiça Argentina

Ler na área do assinante

Alguns dias atrás os jornais cinicamente comunicaram em notinhas curtas ou matérias sem sal que o Foro de São Paulo completava 30 anos de existência.

Fábio Zanini da Folha de São Paulo escreveu que o Foro “continua sendo pintado como uma espécie de bicho-papão pela direita”. Denis Burgierman, do Grupo Globo, escreveu que o Foro é “uma organização real, de esquerda, mas que está longe de ser essa maluquice ultra-poderosa e secreta”. No mês de maio dois jornalistas do Estadão escreveram uma curtíssima matéria dizendo que “Áudio no WhatsApp inventa conspiração do Foro de São Paulo” e que “a organização é mencionada frequentemente em boatos online, que buscam aumentar sua importância e escopo”.

Pois então a “teoria da conspiração” acaba de mostrar suas garras no Sistema Judiciário Argentino.

No dia 30 de julho, o jornal La Nacion da Argentina, repercutiu a posição do vice-presidente da Comissão de Justiça do senado argentino, Ernesto Martínez que disse:

“A intenção final da reforma [do judiciário argentino] é levar 9 ou 12 juízes [na Argentina são cinco juízes da Suprema Corte] para a Suprema Corte e dividir e congelar casos ou favorecer Cristina Kirchner no processo criminal”

A comissão que elabora a reforma da Suprema Corte de Justiça da Argentina tem como um de seus membros Carlos Beraldi, advogado pessoal da Cristina Kirchner que será julgada em breve por atos de corrupção, lembra Joaquín Morales Solá, Colunista do La Nacion.

Acontece que a família Kirchner é um membro ativo do Foro de São Paulo, e esse modus operandi de aplicar reformas no judiciário é uma prática comum do Grupo de Marbella. – Segundo José Dirceu todos que se reuniram num hotel no Chile (Hotel Marbella), Lula, Kirchner, Hugo Chavez e outros de esquerda latina, foram eleitos presidentes de seus respectivos países, exceto o Ciro Gomes.

(Mais detalhes no livro da Graça Salgueiro “O Foro de São Paulo” (2016), no meu e-book “O filósofo, o Capitão e a Bolsonarização” (2020) e no link com o trecho da entrevisto de José Dirceu à Antônio Abujamra link)

No Brasil essa “reforma” já foi feita pelo Foro de São Paulo através do PT ao colocar sete ministros no Supremo Tribunal Federal, com direito a Dias Tofolli (ex-advogado do PT) ora Presidente da corte. Dito de outro modo, em matéria de Foro de São Paulo, nós, brasileiros estamos “bem servidos” no sistema judiciário brasileiro. Mas o povo argentino ainda não entendeu como essa cosita (apelido carinhoso que o Lula deu ao Foro) funciona.

No fim, a extrema-imprensa brasileira segue batendo tambor contra o governo Bolsonaro e chamando de teoria da conspiração as ações do Foro. Enquanto o jornal comunista cubano Granma comemora os 30 anos do Foro de São Paulo e os argentinos se preparam para um dos maiores ataques ao seu sistema judiciário orquestrado pela mesma organização que no entender dos nossos jornalistas são apenas “boatos online”.

Daniel Souza Júnior

Editor do blog Teoritica. Aluno do Programa de Mestrado em Administração da ESAG/UDESC.

assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários