assinante_desktop_cabecalho

O trunfo de Bolsonaro: dois ministros conservadores no STF (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

Para quem está desgostoso com o STF, Frederico Rodrigues, escritor, além de membro fundador da Frente Conservadora de Goiânia e integrante da Direita Goiás, lembra que em breve o presidente Bolsonaro poderá escolher dois ministros para o Supremo:

“No fim do ano, Bolsonaro terá o direito de indicar seu primeiro ministro, que será o primeiro ministro conservador dentro do STF. E, no meio do ano que vem, Bolsonaro poderá indicar outro ministro, porque Marco Aurélio Mello vai sair em razão da idade. Então, temos que ter paciência, confiar no presidente, porque se nós tivermos dois ministros no STF, nós temos duas vozes conservadoras lá, a posição do brasileiro já passa a ser ouvida”, apontou o escritor.

Em entrevista à TV Jornal da Cidade Online, Rodrigues abordou ainda outros temas, entre eles o avanço da censura em várias frentes, tentando calar a voz conservadora no Brasil:

“Temos um STF que, se não me engano, tem sete dos onze ministros indicados pelo PT. A gente simplesmente confiar que esses ministros vão julgar sem ideologia, não é correto. O inquérito das Fake News é um inquérito inconstitucional, antirregimental e imoral. Alexandre de Moraes determinou também que as redes sociais bloqueassem perfis que defendem Bolsonaro ou simplesmente tentam levar uma visão conservadora às pessoas. A justificativa de Alexandre de Moraes é que eles poderiam vir a postar discurso do ódio. Alexandre de Moraes instituiu no Brasil o que a gente não tinha nem na ditadura, que é a censura prévia”, alertou Rodrigues.

Ataque aos sites conservadores

O escritor comentou também sobre o perfil anônimo que tem constrangido empresas, até que elas parem de anunciar em sites e portais conservadores.

“A questão do Slepping Giants, um movimento internacional, é gravíssima. Não à toa, assim que o Slepping Giants começou no Brasil, o perfil contou com o apoio de pessoas como Luciano Huck e Felipe Neto, que estão o tempo inteiro nas redes postando mensagens, dando sermão nos brasileiros, sobre como os brasileiros têm que espalhar o amor, parar com o discurso de ódio, como têm que ser tolerantes... Pera aí, vocês foram os primeiros a ser intolerantes, os primeiros a apoiar um perfil anônimo, fraudulento, que chantageia as empresas, para que elas parem de anunciar em portais conservadores”, ressaltou Rodrigues.

Goiás: estado laboratório de teste durante a pandemia

Ronaldo Caiado, governador de Goiás, acatou a sugestão da Universidade Federal de Goiás (UFG), e decretou o isolamento intermitente no estado. De acordo com Rodrigues, foram as duras críticas do povo em relação à medida que fizeram o governador recuar e o comércio reabrir:

“A forma como Ronaldo Caiado lidou com a pandemia foi imperdoável, usou aquela falácia da autoridade, disse que era médico, que decidia tudo. Ele usou estudos da UFG para determinar um último isolamento, no começo de julho, totalmente excêntrico, onde as cidades de Goiás ficariam 14 dias abertas, e 14 dias fechadas, isso é algo que nunca ouvi na história, não sei de onde os especialistas da UFG tiraram esse exemplo, parece que queriam usar o estado de Goiás como laboratório de testes, isso era inaceitável. As pessoas choravam o tempo inteiro, queriam trabalhar para sustentar suas famílias. Isso foi uma das coisas que motivou a Frente Conservadora a tentar tomar o protagonismo, felizmente tivemos sucesso, com a reabertura do comércio”, completou Rodrigues.

Assista e entrevista:

Siga o canal de Frederico Rodrigues no YouTube:

https://www.youtube.com/c/FredericoRodrigues

da Redação
assinante_desktop_conteudo_rodape
Ler comentários e comentar